Primeiro deck standard (B/G) - Aprendendo aos poucos
 Primeiro deck standard (B/G) - Aprendendo aos poucos
tyrbr

Esquilo
0 Referências
Posts: 10
Registro: 27/05/18
São Paulo - SP

Postado em: 03/06/18 22:20
Bom, como o título diz, é a primeira vez que estou montando um deck do zero, voltando agora pro MTG.
Não pretendo aqui fazer algo que seja competitivo (até pq estou reaprendendo tudo), todas as sugestões são bemvindas!
História: como não sabia que tipo de deck queria montar, decidi comprar uma caixa de booster de Dominaria para ver o que chamava a atenção. Spoiler, não compensou financeiramente, mas me deu boas e inusitadas ideias.
Acabei gostando do Pé-de-limo, e decidi montar um deck B/G de fungos em torno dele, baseado nas cartas que tirei na caixa. Se tiver opções melhores, me avisem!
Não sei o padrão de construção do deck aqui no forum, mas vejamos:

Terrenos: 20
10xPantano
10xFlorestas

Criaturas:15
1xPé-de-limo, o Clandestino

2xTalídia Coroa d'Esporos
2xLodo Corrosivo
2xSaprastor de Yavimaya

2xTalídia Necroflorescente
4xTalídia Onívora

2xConstructo de Treino

Outras Magicas: 25

1xEnxame de Esporos
1xTerrenos Fungais
2xVínculo Quebrado
4xMigração das Saprófitas
2xArmamento Arbóreo
1xCançao de Freyalise

2xEviscerar
1xDemover
2xAlienar
2xOferenda Prava
3xInfecção Fúngica

1xLâmina Negra Reforjada
2xEspada Curta
1xEscudo do Reino


Tentei inserir algumas cartas para dar uma reforçada nas tokens que vou gerar.
Em linhas gerais, algo que dá pra se divertir?
 
Metthews_BH

Esquilo
22 Referências (100.00% positivas)
Posts: 562
Registro: 24/10/11
Contagem - MG

Postado em: 13/06/18 13:42
tem esse artigo falando sobre os fungos:

https://ligamagic.com.br/?view=artigos/view&aid=2358

Mas eu prefiro a lista GW:

4 Llanowar Elves
2 Metalic Mimic
4 Sporecrown Thalid
4 Yavimaya Sapherd
4 Tendershoot Dryad

4 Seal Away
4 Saproling Migration
4 Spore Swarm
2 Cast Out
4 Radiant Destiny
2 Fungal Plots

2 Aethersphere Harvester

4 Sunpetal Grove
4 Scattered Groves
2 Field of Ruin
4 Plains
8 Forest
 
tribebr

Esquilo
3 Referências (100.00% positivas)
Posts: 32
Registro: 25/09/18
Oliveira - MG

Postado em: 09/11/18 11:14
RESPOSTA DE OUTRO USUARIO



DECK TEM QUE TER É: SINERGIA.
Ou seja, você tem que ter um objetivo e colocar cartas que cumpram esse
objetivo. Não dá pra pegar todas as cartas que você acha boa e jogar em um deck.
Uma boa estratégia é olhar o deck e ver: O que eu posso fazer no turno 1. E no
2? E no 3?
Vá preenchendo a curva de mana do seu deck com cartas que se encaixem na sua
estratégia.
Por exemplo. Se você quer fazer um deck Mono Verde agressivo, você precisa
machucar os pontos de vida do oponente o mais rápido possível. Então turno 1 você
coloca uma Dríade militante e tuno 2 encaixa um Rancor nela pra que mesmo que ela
seja bloqueada o dano do atropelar passar no oponente. Isso é sinergia, entende?
Cartas no deck que se ajudam pra atingir o objetivo mais rápido ou de maneira mais
eficiente.
6
Outro ponto importante é: Todo deck tem uma fraqueza, se você montar um
Mono verde como esse, ele pode ser extremamente forte contra uns decks e muito
fraco contra outros. Então, não vá montar um deck pensando que ele tem que ganhar
tudo de todos, você pode usar algumas cartas para minimizar os danos que certos
decks vão causar contra o seu, más você nunca vai conseguir parar tudo. Por isso o
importante é montar um deck que tenha um objetivo e que busque fazer ele dar certo.
_______________________________________________________________
Sou apaixonado por deck buiding. Para mim a parte mais divertida do magic é
a montagem do deck, e é isso que faz o Magic ser tão rico em possibilidades.
O método que utilizo é o seguinte: Pense na estrutura do deck dividida por
setores. O mais importante é você buscar o equilíbrio entre os setores. Eu explico:
Existem muitos tipos de cartas de Magic, e cada tipo vai favorecer uma
determinada de estratégia. Por exemplo, existem cartas de dano direto, de anulação,
de bounce (volar permanentes alvo para a mão do dono), de aceleração de mana,
remoções de criatura (destrói, exila, etc), remoção global, de fortalecimento de
criaturas (pump ou auras), cartas de ganho de vida, cartas de proteção, de compra de
cartas (draw ou cantrip), Tutores (buscam algum tipo de carta no grimório), cartas que
forçam o oponente a descartar, etc...
Você começa o deck buildind definindo qual estratégia vai utilizar. As cores tem
tendências naturais para determinadas estratégias, e no verde predominam as
criaturas rápidas e fortes, a aceleração de mana (cartas que geram mana ou põe
terrenos adicionais em jogo) e o pump de criaturas. Então suponhamos que você
queira montar um deck verde clássico que utilize cartas essas características. Você
agora vai definir o tamanho de cada setor. Exemplo, num deck de 60 cartas com 20
terrenos você tem 40 cartas e pode montar da seguinte maneira:
 45% de criaturas (18 cartas)
 15% de aceleração de mana (6 cartas)
 25% de pump (10 cartas)
7
 10% de remoções (4 cartas)
 5 % Tutor de criatura (2)
Essa estrutura pode variar radicalmente de acordo com a estratégia e os tipos
de carta que você vai utilizar. Não tente abrigar muitas estratégias diferentes num só
deck, pois vai ficar uma salada. Defina uma linha a seguir e monte o deck em cima
dela. Procure identificar em cada carta qual o tipo de estratégia que ela favorece e
preencha os slots de cada setor com as cartas apropriadas. É aí que entra a sinergia
que o amigo ali de cima falou, pois diferentes cartas podem interagir umas com as
outras no jogo e te trazer muitos benefícios na partida.
Com a estrutura definida, o deck vira de uma receita de bolo. Você pode ir
modificando conforme os resultados dos testes e partidas que fizer. Se achar que
precisa ser mais agressivo, aumente a porcentagem de criaturas. Se precisar de mais
controle, inclua mais remoções. Se Você tem uma criatura importante que gostaria de
jogar em todas as partidas, aumente o número de tutores. E por aí vai até você achar
a receita correta.
Tenha em mente dois conceitos importantes em qualquer deck: as "Kill
Conditions" (as maneiras que um deck pode derrotar o oponente) e "Finisher" (aquela
carta que vai ser literalmente a finalizadora da partida).
É interessante visualizar o deck também pela perspectiva do custo de mana.
Analise quantas cartas você tem de custo 1, de custo 2, 3, 4... Obviamente o número
de cartas com custo baixo no seu deck precisa ser maior que o número de cartas com
custo alto. Exemplo:

 Cartas com custo 1 = 6
 Cartas com custo 2 = 18
 Cartas com custo 3 = 10
 Cartas com custo 4 = 4
 Cartas com custo 5 ou mais = 2

Por fim, recomendo pesquisar sobre a definição dos arquétipos principais que existem:
Aggro, Midrange, Control e Combo.