Load or Cast
Eu fui capaz, e você?
O Desafio do Rogue.
Por
22/04/2016 08:00 - 5.066 visualizações - 27 comentários
Load or Cast


Olá amigos magos e amigas feiticeiras, hoje lhes trago um artigo um pouco diferente dos que estamos acostumados.


Vou aproveitar que meu turno chegou e vou falar para vocês sobre criação de decks. Isso mesmo! Mas, calma, não tenho a pretensão alguma de ensinar alguém aqui a como construir um deck. Não serei leviano a esse ponto, porque conheço minhas limitações e minha falta de experiência.


Minha intenção hoje está conectado com os temas que venho escrevendo aqui no Ligamagic para vocês. Como vocês sabem, venho falando de como elevar o potencial do Magic, sobre formatos alternativos, sobre utilização de cartas que não são comumente utilizadas nos decks Top 8 etc. No entanto, minha proposta hoje é sair da retórica, da teoria e partir para a prática e, ao final, lançar um desafio para todos vocês.


Mas, primeiramente, gostaria de fazer, mais uma vez sem qualquer pretensão, a revisão de um conceito muito utilizado no mundo do Magic.


Muitas vezes vemos algum artigo ou algum jogador comentando: "esse é um deck rogue e, portanto, fraco"; "decks rogues são decks de iniciantes"; ou "decks rogues não servem para campeonatos". Enfim, não vou contrariar tais comentários, pois, como todos sabemos, os decks chamados muitas vezes de "rogues" não são tão bem vistos assim.


No entanto, o que eu pretendo é trazer uma nova visão, uma revisão do conceito de "rogue".
Se você der uma olhada na tradução da palavra "rogue" no google tradutor, você verá que o resultado é bem pejorativo, tais como: trapaceiro, velhaco, patife e assim por diante. Porém, há um resultado nessa tradução que eu gosto muito, que é: maroto.


Dessa forma, eu prefiro entender e conceber um deck rogue como um deck "maroto". E, por qual razão? Oras, imagina você chegando em um campeonato ou no Friday Night Magic na loja de sua cidade, com um deck que você mesmo construiu e,voilà...você consegue um top 8. Ta ai a "marotagem".


Pensando assim, eu acredito que um deck rogue não necessariamente é um deck ruim, um deck de iniciante ou qualquer coisa que o valha, mas sim, um deck criativo, ousado e inovador. Pode ser que te traga bons resultados? Não sei. Pode ser que tenha sido construído com coerência? Só os testes irão lhe dizer. Vou ser bem-visto chegando com um deck "rogue" no campeonato ou no Friday Night Magic? Não se preocupe com isso.


Lembre-se de uma lição: antes de alguma coisa dar certo, mil outras deram errado. Portanto, se você não se instigar, não se desafiar, não arriscar, você nunca saberá se é capaz ou não de construir um deck campeão ou quase campeão.


Foi pensando assim que eu me desafiei e criei o UR Tokens Dragons, como vocês podem ver abaixo 

 

[DECK 335102 NOT FOUND]

 

O deck tem, basicamente, duas frentes de ação: a primeira, bater o mais rápido possível, fazendo com que criaturas pequenas se tornem grandes com o uso de Dadiva das Presas, Danca do Sabio Celeste  e Forca de Tita ; a segunda, caso não seja possível ser muito agressivo, é transformar todas as criaturas pequenas da mesa em tokens de dragões 4/4, com o uso de Descenso dos Dragoes, e atacar sem piedade.


Veja! O deck pode não ser um Tier 1 ou Tier 2, mas quem pode alegar, com certeza, que nunca será? Talvez alguém com mais experiência e mais conhecimento "técnico" a respeito do Magic possa melhorá-lo, incluindo alguma carta que eu não havia imaginado, dando outra dinâmica no deck.


Eu acredito que, o grande foco aqui, não é construir um deck "forte", "campeão", mas sim efetivamente CONSTRUIR UM DECK NOVO! Minha intenção com esse deck é tentar ser criativo, ser ousado, deixar um pouco de lado essas listas prontas e encontrar um deck que possa, quem sabe, "quebrar a banca". Isso mesmo! Chegar em um Friday Night Magic ou no Circuito Ligamagic e, "marotamente", surpreender.


Mas você pode me perguntar: "Que vantagem eu tenho criando um deck novo para utilizá-lo em um campeonato?"; "Eu quero ganhar, não quero somente competir."; "Há mais desvantagens do que vantagens em utilizar um deck rogue". Realmente, você pode estar certo, mas nunca 100% certo. Pode até ser que realmente existam mais desvantagem do que vantagens, no entanto, uma vantagem de peso que eu vejo em um deck rogue é no seguinte sentido: Ninguém terá um sideboard preparado contra ele. Pense nisso.


Mas eu não construí esse deck simplesmente por construir. Eu quis me desafiar, para saber se sou capaz. Minha motivação foi tentar construir um deck que utilizasse três cartas em específico: Dadiva das Presas, Danca do Sabio Celeste e Descenso dos Dragoes . Essas são cartas que achei bem interessantes e que me motivaram a construir um deck em torno delas. Acredito que tenha dado certo.


Então, amigos magos e amigas feiticeiras, estão dispostos a mostrar para os leitores do Ligamagic um deck novo construído por vocês? Esse é o desafio que eu lanço para todos vocês: crie um deck totalmente novo e compartilhe nos comentários abaixo. Quem sabe alguém não possa ajudá-lo a melhorar o deck, indicando uma carta em substituição por outra. Talvez você tenha ai em casa todas as cartas que necessita para um baralho bom e justo, cujas cartas estão todas guardadas naquela caixa de sapato, fadadas ao esquecimento.


Eu foquei no formato Standard, por ser mais limitado em números de cartas, mas você pode construir em qualquer formato.


Gostaria que vocês pudessem se sentir inspirados com este artigo. Não tenham medo! Ousem, criem, inovem, se reinventem...Deixem de lado o comodismo e nos mostre o resultado. Nos mostre o seu deck!
 

Bom pessoal, por hoje é só. Não tendo mais nehuma jogada para ser feita no meu turno, eu passo! Até a próxima.

Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 27/04/2016 14:45
Boa Fabio :)
(Quote)
- 25/04/2016 19:58

Obrigado pela dica. Parabéns continue criado decks. Abs

(Quote)
- 25/04/2016 19:56

Obrigado pelo elogio. Deck legal o seu. Abs

(Quote)
- 25/04/2016 19:54

Obrigado pela dica. Vou testar. Abs

(Quote)
- 25/04/2016 19:52

Obrigado pela dica. Vou testar novas cartas. Abs

Últimos artigos de
3.203 views
Aether Revolt e o Pauper Legacy
Impactos no formato.
3.203 views
02/02/2017 15:20 — Por Fábio Ricardo Panzoldo
Antes e depois do Drake
Como era e como ficou o metagame Pauper.
6.834 views
Antes e depois do Drake
Como era e como ficou o metagame Pauper.
6.834 views
31/12/2016 10:00 — Por Fábio Ricardo Panzoldo
Fortalecendo o Pauper no Brasil
O Nacional Pauper Legacy.
4.103 views
Fortalecendo o Pauper no Brasil
O Nacional Pauper Legacy.
4.103 views
28/11/2016 18:00 — Por Fábio Ricardo Panzoldo
Os 3 pilares do Pauper Legacy (IRL)
Terceiro Pilar — Goblin
7.614 views
Os 3 pilares do Pauper Legacy (IRL)
Terceiro Pilar — Goblin
7.614 views
28/10/2016 08:00 — Por Fábio Ricardo Panzoldo
3.742 views
O Segundo Pilar do Pauper Legacy
O Mono Blue!
3.742 views
28/09/2016 12:00 — Por Fábio Ricardo Panzoldo