Load or Cast
Tassa’s Oracle & Banlist cEDH
No artigo de hoje iremos entender a influência do Oráculo de Tassa na banlist que está por vir
18/01/2020 10:05 - 16.575 visualizações - 29 comentários
Load or Cast

Fala pessoal, tudo certo?


No artigo passado falamos sobre as famosas pilhas de hulk, que são combos trazidos ao campo de batalha com pelo efeito do nosso amigo Brutamontes Multiforme muitas vezes com a ajuda de uma outra carta muito conhecida, chamada Flash. Essas pilhas possuem alguns padrões para que funcionem corretamente, incluindo interações entre criaturas, self Mill, tutores entre outros. Porém como todos sabemos, a tão aguardada coleção “Theros, além da morte” ainda estava recebendo seus spoilers, que nos presenteou um dia antes da publicação do artigo anterior (08/01) com o spoiler que veio a mudar muitas listas atuais por conta de seu efeito. Estamos falando de Oraculo de Tassa, um dos nossos assuntos de hoje.


 

A importância do Oráculo para o cEDH

 

Como todos nós já sabemos, o meta do commander competitivo se baseia nos decks que consegue extrair o melhor resultado da forma mais enxuta possível, sem depender de dead slots. Esses decks na maioria das vezes jogam em volta de combos já conhecidos pela resiliência, porém para que tudo esteja em ordem os outros decks desse meta, com seus diferentes arquétipos precisam estar acompanhando de forma atenta a progressão do jogo para que não haja uma hegemonia.


No ano de 2018 tivemos uma mudança drástica na nossa Tierlist, que colocou como tier 0 nossos já conhecidos Trasio, Heroi Talassido e sua inseparável companheira Timna, a Tecela, devido à uma drástica mudança na banlist que removeu Motor do Paradoxo  do formato, retirando o arquétipo que comportava decks como Teferi, Temporal Archmage, dentre outros.

 


 

Após essa mudança, também tivemos uma alta na utilização de duas cartas que vieram a ser muito importantes dentro do cenário competitivo, se tornando indispensáveis em inúmeras listas como segundo recurso, sendo elas Pacto Maculado e Consulta Demoniaca, também conhecidas como “Forbidden Tutors”, principalmente após o lançamento do também conhecido Jace, Manipulador de Misterios, que substitui em muitas listas o papel até então ocupado pelo Maniaco do Laboratorio.


Essas mudanças foram muito impactantes e corroboraram para o crescimento desenfreado do arquétipo Flash hulk, que já possui inúmeras diferentes pilhas e variantes que majoritariamente utiliza como comandantes Thrasios e Tymna, e que seriam explicadas com mais detalhes em uma série de artigos que foi completamente modificada depois do anúncio da nossa querida Oraculo de Tassa.


Vamos entender de forma superficial sobre as diferentes pilhas que temos atualmente, desde as mais jogadas e consistentes, até as mais simples e baratas.


BREAKFAST HULK


Talvez seja a mais conhecida e utilizada entre todas as listas.


Possui uma enorme consistência mas com uma das maiores quantidades de dead slots para o combo, que é formado pela pilha:


+


Essa pilha consegue fazer um self-mill de forma eficiente sem permitir respostas posteriores a resolução do efeito do hulk, que é protegido pelo Abolidor-Mor

Durante o processo enviaremos eventualmente ao cemitério nossa Narcoameba que retornará ao campo de batalha, servindo como food para o flashback da carta Retorno Aterrorizante que reanimará nosso maníaco.


Por fim, o efeito do pesquisador finaliza o jogo.
 

 


Apesar de muito utilizada e de ser extremamente forte, essa pilha sofre muito para Hates de Cemitério, que se bem colocados podem se tornar um enorme problema, muitas vezes acarretando uma derrota.


SACRED HULK


Uma das variantes que menos sofrem para respostas dos oponentes e permitem uma vitória mais limpa e em instant speed, porém necessita alguma mana disponível para sua execução.


Sua pilha consiste em:

 

O combo é auto-explicativo e funciona de forma semelhante aos Forbidden Tutors, utilizando nosso Guia Consagrado + 1W para seu efeito que irá exilar todo o restante do deck que não contém nenhuma outra carta branca. Após isso Pesquisador e Maníaco garantem a vitória, protegidos pelo Preservador silvestre.

 

SHUFFLE HULK

 

Conhecida por ser uma das variantes mais complexas, a suffle Hulk, como seu nome já diz, tira vantagem de embaralhamentos constantes para a reutilização de recursos. Com um pouco mais de dead slots, e muito sensível à Grave hates, continua sendo uma ótima opção.


Lembrando que o deck possui inúmeras interações, porém irei citar apenas a mainline com o combo de flash + Hulk, que se assemelha de uma certa forma com a já citada Breakfast.


Após o trigger do brutamontes, a pilha que iremos trazer é composta por:


+


Com o self-mill vindo da interação entre os nômades e a cefálida iremos tombar nosso deck até trazermos ao campo a Narcoameba que será sacrificada pelo nosso Vidente Visceral, desencadeando o efeito do Artista do Sangue pingando 1 de dano a um oponente.


Após esse passo, continuaremos o processo de Mill até tombarmos Kozilek, Carniceiro da Verdade, que irá embaralhar o cemitério ao deck (incluindo a Narcoameba), e então é só repetir o processo.


Caso nosso kozilek seja enviado primeiro podemos segurar a prioridade e continuar tombando pelo efeito da Ilusionista Cefalida até vir a Narcoameba, que será sacrificada e etc.

 

 

DNV HULK

 

Já adentrando o submundo das pilhas de hulk, temos uma lista pouco conhecida, que é bem frágil em vários aspectos e necessita uma certa quantidade de dead slots, porém é extremamente barata e acessível.


A pilha da vez funcionará com o chamado Double Hulk, que consiste em trazer ao campo de batalha:

 


Com a habilidade desencadeada do Escavador Phyrexiano, traremos novamente ao campo de batalha nosso Protean Hulk para ser sacrificado uma segunda vez para nosso Vidente Visceral, que gerará uma segunda pilha, onde traremos:

 


Com um loop de sacrifícios criado entre a interação do Persistir do nosso Elite do Refugio e Melira, Paria Silvoque, podemos causar quanto dano for necessário pelo efeito desencadeado pelo Artista do Sangue .

 

Mastícora Hulk


Uma variação da lista DNV que não necessita de um Double Hulk, mas que sofre das mesmas disvantagens da lista anterior, com um número significante de dead slots e escassez de proteção, mas ainda assim continua sendo também uma ótima opção acessível para decks mais baratos.


Sua pilha é formada por:


 +


Com a mesma interação entre Melira, Paria Silvoque e a Habilidade de Persistir da Masticora Menor, temos um loop de sacrifícios que nos permite ganhar com dano causado pelo Artista do Sangue.

 

Essas foram algumas das várias formas de se montar pilhas atualmente, e que seriam melhores trabalhadas em futuros artigos, porém o fenômeno de mudanças bruscas aconteceu novamente no dia 07/01 com o anúncio da carta que mudaria todas essas listas: Oraculo de Tassa.


Quem já é mais habituado com o ambiente competitivo já sabe como Flash Hulk pode ser um problema, e que mesmo em um playgroup preparado essa combinação pode causar dor de cabeça para outros jogadores, já que pode ser usada em instant speed por apenas duas manas, mesmo que a porcentagem de chance de ambos estarem em uma mão inicial seja baixa, pode facilmente ser utilizada no turno 1.


E afinal, onde a nossa nova Oráculo entra nessa história?


Por mais que Flash hulk seja um arquétipo batível, ele vem sendo perceptívelmente pouco mais beneficiado por vários fatores, como lançamento de novas cartas e as mudanças do competitivo como um todo.


Com a adição da Oraculo de Tassa, foi quase unânime a substituição das vagas ocupadas pelo Jace, Manipulador de Misterios e Maniaco do Laboratorio por conta de seu efeito que não necessita que ela esteja em campo, podendo garantir a vitória em instant speed mesmo em situações onde teríamos que nos preocupar com possíveis remoções.


Também tivemos o surgimento de uma pilha que chamou muito a atenção, chamada de FISH HULK.


Essa pilha consiste nas seguintes cartas:

 


Com todos os efeitos desencadeados na entrada dessas criaturas em campo, iremos segurar a prioridade e resolver primeiro o efeito da spellseeker, buscando para nossa mão Consulta Demoniaca. Após isso, ainda segurando a prioridade com o efeito da Oráculo na pilha, sacrificaremos o Mascote de sangue para adicionar B a nossa reserva que será gasto para conjurar a Consultation.


Após a resolução, teremos o deck exilado e o efeito da Oráculo na pilha resolverá nos dando a vitória.


Essa pilha não sofre para remoções, já que os efeitos desencadeados na entrada ao campo já estarão na pilha. Também não utiliza o cemitério, ficando imune a grave hates, só dá a possibilidade de ser anulada no cast do flash, ou da Consultation, além de ser extremamente compacta e sem dead slots, com excessão de blood pet.


Essa mesma lista inclui uma pilha ainda mais consistente que passa por counters, deixando o deck ainda mais difícil de ser respondido, sendo ela:

 


Utilizando o mesmo principio, após o efeito desencadeado pelas cartas entrando no campo forem colocados na pilha, iremos segurar a prioridade e utilizar a interação entre os Nomades en-Kor e a Ilusionista Cefalida, criando o Self-mill.


Quando não tiver mais nenhuma carta em seu deck, basta deixar o efeito da Oraculo de Tassa na pilha resolver, ganhando o jogo.


Nessa linha o combo não abre espaço para ser respondido em counter’s, nem grave hates, nem remoções pontuais.

 

Logo após o anúncio de Oraculo de Tassa nós tivemos o parecer de uma figura importante do Comitê de regras do commander sobre seu impacto no cEDH, onde ele diz:


“Assim como todos sabem, o comitê de regras viu a Oráculo de tassa e está ciente das implicações para com os nossos amigos do cEDH. Estaremos falando sobre isso.”

 

 

Recentemente tivemos um artigo postado por um usuário americano chamado Jared Robbins, onde ele fala sobre Fish Hulk e a necessidade de uma banlist, justificando inúmeros pontos sobre o assunto em questão. Infelizmente o artigo está em inglês, mas você pode conferir por esse LINK, onde podemos ressaltar uma parte onde ele cita motivos dentro dos critérios do Comitê de regras do commander que justificariam um ban em Flash ou nos Forbidden Tutors.


[...] “1- Permite que jogadores ganhem do nada. 2 – Causa um grave desequilíbrio de recursos. 3 – Previne que jogadores contribuam ao jogo de forma significativa. 4 – Faz com que outros jogadores se sintam obrigados a utilizar algumas cartas mesmo que elas também sejam problemáticas. 5 – Deixa muito mais difícil de outros jogadores interagirem, especialmente se isso exige respostas que venham diretamente do deckbuilding. 6 – Interage de forma superficial com a natureza multiplayer do commander. 7 – Leva a um Gameplay repetitivo.


Não demorou muito para que obtivéssemos uma resposta vinda novamente de Sheldon Menery, onde ele diz:


“Gostei 1) Argumentos bem fundamentados 2)Não está assediando o RC ou CAG”

 

 

Após essas aparições publicas para falar sobre uma carta que não afeta diretamente o commander for fun, todos nós estivemos cogitando uma possível banlist para ajudar a balancear o commander competitivo.


Nosso amigo André Oliveira, também um dos administradores do cEDH Brasil tentou entrar em contato com Sheldon sobre a possibilidade dessa banlist, e obtivemos a seguinte resposta:


- “@SheldonMenery Quando podemos esperar um anúncio vindo do Comitê, mesmo que sem nenhuma mudança?”

- “Segunda-Feira após o Pre-Release #cmdrRC”

 


Após todas essas declarações sabemos que uma banlist irá ocorrer na Segunda-Feira do dia 20/01 e que nosso amigo Sheldon Menery está tentando um engajamento maior com o publico do commander multiplayer competitivo.


Com tantas diferentes builds e uma capacidade enorme de versatilidade, estamos caminhando para uma situação onde a saúde do meta pode estar em risco, e isso se deve pela junção de todos os fatores citados até aqui.


Você acha que a decisão vindo do RC pode prejudicar ou ajudar no balanceamento do commander? Quais são suas apostas para a banlist do dia 20?


Por hoje é só pessoal, e se você leu até aqui e se interessa pelo assunto, você pode se juntar ao nosso grupo cEDH Brasil no Facebook.


Deixem suas opiniões sobre o assunto nos comentários e sobre o que querem ver no próximo artigo.


Um grande abraço, e até o próximo.

 

Por Jefferson Barbosa

Jefferson C Faria Barbosa ( D3AD)
Jefferson é entusiasta do formato cEdh
Redes Sociais: Facebook
Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 28/01/2020 17:08

Sim, deveria banir os 2 kkkk

(Quote)
- 28/01/2020 16:03

Tenso é que o Oraculo dá mais opção de combos para o flash hulk combar.

(Quote)
- 22/01/2020 20:45

Pois é, mas o flash é um combo muito mais barato, em questão de mana.
Vc comba c 2 manas só.
Agora o demonic + jace ou maníaco, precisa de pelo menos 5, sendo 3 azuis, então os ramps mais rápidos não te fazem combar tão mais rápido, e no caso do maníaco, vc ainda precisa de uma terceira carta pra combar.
O flash e o hulk não agregam nada ao casual também, são 2 cartas q juntas, acabam o jogo no primeiro ou segundo turno.

(Quote)
- 22/01/2020 12:26

Eu iria ficar chateado se banir a consulta. O Hulk eu sempre achei quebrado e desnecessário ter desbanido. Se você vem com uma mão sem resposta ele te mata, no competitivo você não virá com uma mão assim. Mas quando você joga fora do competitivo já não é assim.

Flash + Hulk é muito mais consistente e você pode repetir caso falhe. Consultatio + maniaco ganha o jogo mas não tão rápido e não tão fácil. Se fosse assim deveriam banir Devourer + Triskelion + Necrotic que com os rituais dá pra fazer no primeiro turno se tu vier com Enterrado Vivo e reanimar.

Se o problema for o tritão é só banir, a meu ver é mais fácil combar com o tritão do que o maniaco. Exilo meu grimorio e casto o tritão.

(Quote)
- 21/01/2020 23:55

Isso não tem muita lógica, porque o espaço de resposta do demonic e do flash é o mesmo. Agora vai me dizer que quando alguém casta flash no cEDH ninguém sabe o que esperar, por favor né.

Últimos artigos de Jefferson C Faria Barbosa
Vermelho é uma opção no cEDH! Pt2
No artigo anterior dissecamos a utilização do branco no commander, e hoje falaremos de outra cor que vem ganhando o mesmo espaço, o Vermelho!
2.540 views
Vermelho é uma opção no cEDH! Pt2
No artigo anterior dissecamos a utilização do branco no commander, e hoje falaremos de outra cor que vem ganhando o mesmo espaço, o Vermelho!
2.540 views
Há 1 dia — Por Jefferson C Faria Barbosa
Boros é uma opção no cEDH! Parte 1
Na primeira parte desse artigo iremos explorar o que a cor branca tem para nos oferecer de melhor no ambiente competitivo do commander!
3.066 views
Boros é uma opção no cEDH! Parte 1
Na primeira parte desse artigo iremos explorar o que a cor branca tem para nos oferecer de melhor no ambiente competitivo do commander!
3.066 views
Há 16 dias — Por Jefferson C Faria Barbosa
Pratique o Gathering no cEDH!
Se você joga commander, é hora de lembrar o que signfica o Gathering!
4.886 views
Pratique o Gathering no cEDH!
Se você joga commander, é hora de lembrar o que signfica o Gathering!
4.886 views
Há 30 dias — Por Jefferson C Faria Barbosa
Metagame e Variância no cEDH
No artigo de hoje iremos abordar dois assuntos muito falados recentemente sobre o commander competitivo por um outro ponto de vista.
5.696 views
Metagame e Variância no cEDH
No artigo de hoje iremos abordar dois assuntos muito falados recentemente sobre o commander competitivo por um outro ponto de vista.
5.696 views
12/08/2020 10:05 — Por Jefferson C Faria Barbosa
Desmistificando o cEDH!
No artigo de hoje iremos responder algumas duvidas frequentes sobre a nossa variante mais querida!
5.135 views
Desmistificando o cEDH!
No artigo de hoje iremos responder algumas duvidas frequentes sobre a nossa variante mais querida!
5.135 views
22/07/2020 10:05 — Por Jefferson C Faria Barbosa