Grandeza a qualquer custo
30/04/2019 10:05 - 7,106 visualizações - 15 comentários

No meu último texto escrevi sobre o Hardened Scales e como esse deck se tornou minha principal escolha para o Modern nessa season. Mas confesso que o deck que sempre gostei foi o BG. Essa estratégia, para mim, é o clássico midrange adaptado ao Modern, o deck lembra muitas vezes os fortes midranges do Standard, cada ação importa, cada troca feita da maneira certa importa. Em um formato onde grandes vantagens são ganhas com certa facilidade, chega a ser inocente jogar com um deck que se importa com cada detalhe, mas o coração não escolhe quem amar e estou nessa relação com Goyfs, Liliana e descartes faz um bom tempo.


O declínio do BGx começou há dois anos, quando o Modern foi invadido pelos big mana e empurrou a estratégia para algo marginal, sendo mantido apenas por aqueles que realmente gostam dela, caso do brasileiro Willy Edel e dos americanos Reid Duke e Jaberwocki. O que trouxe o deck de volta foi a ascensão do Fênix, um deck Turbo Xerox e que precisa ficar com cartas na mão, e amigão, o BG ama decks UR assim. Tarmogoyf é um inferno para esse tipo de estratégia e Liliana e os descartes comem a mão do fênix rápido demais. Com fênix crescendo, ele trouxe alguns decks agressivos e burn, todas matchs que o BG gosta e ainda empurrou um pouco o Tron para a borda, fazendo um sorriso no rosto do Bob.


The Rock
Por Ruda
5151 visualizações
19/04/2019
R$ 4.547,98
R$ 6.411,89
R$ 12.148,49
5151 visualizações
19/04/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (15)
4  Confidente Sombrio  199,00
3  Lodo Necrófago  8,80
4  Tarmogoyf  169,99
2  Rastreador Incansável  42,17
2  Kalitas, Traidor de Ghet   52,76
Planeswalkers (4)
4  Liliana do Véu   259,75
Mágicas (16)
2  Capturar Pensamento 46,75
4  Empurrão Fatal 10,45
4  Inquisição de Kozilek 14,92
1  Denegeração Abrupta  8,95
4  Troféu do Assassino  49,00
1  Pulsar do Maelstrom   15,00
Artefatos (1)
1  Magibomba Niilista 1,35
Terrenos (24)
2  Aldeia nas Copas1,20
4  Campo da Ruína11,86
4  Catacumbas Verdejantes159,90
4  Charco Florescente16,81
1  Floresta0,00
4  Pântano0,00
2  Pântano Sibilante4,39
3  Tumba Abandonada20,00
60 cards total

Sideboard (15)
2  Explosivos Fabricados 89,75
2  Jaula do Escavador de Túmulos 8,00
3  Magibomba Niilista 1,35
2  Brutalidade Coletiva  67,99
1  Liliana, a Última Esperança   194,00
1  Pulsar do Maelstrom   15,00
1  Sufocar  9,00
1  Corrosão Rastejante   3,00
1  Ishkanah, Viúva-do-cemitério  1,49
1  Nissa, Força Vital   17,00


Essa é a lista que tenho usado, o main considero padrão e tem cartas que são chave para vencer no metagame atual, caso de Kalitas, e o BG nessa nova era é um deck mais para trás do que seus antecessores, então gerar mais card advantage é importante, daí o uso de Bobs e Trackers. Boa parte das partidas que você vence hoje em dia envolve afogar o oponente em tanto card advantage que ele não consegue mais voltar. Eu pensei em usar mais Trackers do que Bobs, assim eu podia jogar mais pesado e ir mais controle, mas cada Tracker que eu colocava deixava meus Bobs piores, isso porque eu ia lentamente aumentando os custos médios do deck, sendo assim, eu apostei nos Bobs, mesmo sabendo que temos vários Bolts no formato, e deixei os Trackers como apoio, mas entendo que existe espaço para listas que usam quatro Trackers e nenhum Bob, podendo jogar muito grande e lento.

 


O meu side é onde alguns podem querer discutir mais, eu odeio Fulminator Mage. Não importa se você tem mais maneiras de destruir terrenos, a matchs contra Tron só é vencida com disrupt, Liliana e clock, usar Fulminator para trazer para o 50/50 uma match ruim é colocar muito recurso em pouca vantagem, eu sempre prefiro não usar Fulminator, aceitar a match contra Tron e usar meus slots do side para pressionar outras matchs, que são 50/50 e posso empurrar para 70/30. Ishkanah, Grafwidow é um exemplo, Affinity, mirror, Grixis DS, são matchs onde ela tem o “efeito exódia”, entrar e ganhar a partida. Nissa e Sufocar são outros exemplos, elas realmente importam nas matchs que eu coloco elas e é isso que que quero, e não um side quepode ser que me faça ganhar uma match e seja medíocre contra o resto. Outro detalhe do side é a ausência de Surgical, em um mundo que tenho Nihil, Cage, Ooze e Kalitas, Surgical é incrivelmente fraca, com Cage e Nihil eu já consigo impedir o Fênix de sair “combando” e conforme a partida passa, melhor fica para nós, eu realmente acho Surgical um exagero nessa match, você pode até colocar Leylines e não diversificar os hates, mas Surgical é uma carta que fica morta bem rápido.



Pensando no metagame atual, O BG se beneficia do crescimento do Fênix e até pensando em um London Mulligan, eu gosto de ter descartes onde meus adversários estão mullignado atrás da mão ideal. Inclusive, pensando no MC Londres, os jogadores terão acesso à lista do oponente, isso ajuda muito o BG, porque muitas partidas ficamos com mãos duvidosas por não saber o que estamos enfrentando. Saber que nessa match eu preciso mais de descartes, ou nessa eu preciso mais de remoções, é maravilhoso.


Por fim, a minha dica para quem gosta de jogar de BG no Modern é se adaptar o tempo todo. Entenda que o seu deck é quase que anti-hate, não existem silver bullets para o BG, existem estratégias que nos complicam, mas não cartas. E o resto do formato perde pra cartas, então se adaptar ao seu metagame e usar as silver bullets contra eles é a chave para vencer boa parte das suas partidas. Pense o seu baralho quase como um controle, onde você tem muitas remoções, cartas que compram cartas e um finisher, Tarmogoyf. Pense mais para trás e boa parte das partidas fica mais simples. Pós side você pode mudar sua posição, mas no main essa é a padrão.


Boa sorte nas suas partidas, e até mais!
Ruda


Rudá Andrade dos Reis ( Ruda)
Aficionado por decks azuis agressivos, mas que não dispensa um bom Siege Rhino nas horas vagas, está no Magic desde 2003, em Flagelo. Em 2012 começou escrever sobre Magic e não parou mais, sendo que em 2015 se tornou Editor da LigaMagic.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
Ruda na Twitch

LigaMagic App



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Ruda (07/05/2019 11:10:37)


Eu gosto bastante do Triunfo, mas ainda é uma carta que prefiro de side, sendo que o efeito de descartar é parte importante do aproveitamento da carta. Sobre Teferi, ainda não vi ele brilhando tanto no Modern, mas realmente ode atrapalhar o jund.

greich (06/05/2019 22:03:07)

aproveitando esse papo de terceira cor, o que acha de triunfo de Liliana, hoje estou de Jund e não consigo ver slot pra ela no main deck, se for pra tirar algo vermelho do deck, estou preferindo partir pro BG, ainda mais com Teferi novo que atrapalha o cascade do BBE, assumo que os atrativos do vermelho estão começando a ficar em baixa e realmente jogar de BG está me chamando atenção

Ruda (06/05/2019 10:53:37)

A necessidade desses recursos varia com o meta, em um ambiente mais grind, por exemplo, eu gosto de branco e de como lingering souls me ajuda. Mas atualmente eu realmente não sinto necessidade de uma terceira cor, o que acontece é que quem estava muito acostumado a jogar com a terceira cor sente falta quando começa com o BG, ele meio que não joga de BG, mas sim de Jund sem vermelho, não sei se a ideia ficou clara. Mas basicamente, BG está ok.

CassielMELO (06/05/2019 09:59:59)

Eu gosto muito do BG é uma combinaçao em que vc tem resposta para tudo, mas o vermelho ou branco no deck é importante para ter mais recursao.

greich (30/04/2019 20:54:03)

EU jogo de jund e acredito que ele seja mais difícil, o vermelho te trás mais recursos mas também te trás um setup de mana mais demorado, isso é algo que pouca gente leva em consideração

TeamMaya (30/04/2019 18:32:39)

Greatnessatanycost.com

Belo artigo

vitoox (30/04/2019 15:14:17)

silver bullets??? não entendi alguém explica

mrc_jr (30/04/2019 14:29:06)

Belo artigo Rudá.
Venho jogando de BGx desde o ban de twin e realmente a melhor estrategia para o arquétipo é se adaptar ao meta. Essa é a grande vantagem do arquétipo IMO.
Atualmente estou com BG Rock, desde setembro do ano passado e não vejo necessidade de mudar, pelo menos não nesse meta atual.

Duley (30/04/2019 13:52:52)

Eu joguei com o deck no GP e fiz 8-1 no Day1 e caiu em declínio fazendo 3-4 no day2. (inclusive perdendo para o campeão). Um dia antes, fiz top8 no MCQ com a mesma lista (também perdendo para o campeão numa zicada no G3 alta).
Ruda me auxiliou em algumas coisas no deck no dia antes do GP, fica a gratidão.
Eu me apoiei em 60% dessa lista padrão, gostei de utilizar a Liliana, the Last Hope (1-off) em vez de 4 do véu.
Pelo ambiente, optei por usar mais removal, adicionando 1 dismember e 2 go for the throat (que hoje, eu usaria Cast Down - remove qualquer bicho do ambiente. Não estou lembrado de um bicho lendário que faria a diferença nos meus jogos). Com isso, a quantidade de bobs foi reduzida (utilizei apenas 2).
Acho necessário o 4th Ooze também pelo ambiente.
O que me fez a diferença e muito, foi usar o segundo Pulse.
Quando nego vê que eu gastei o primeiro, já sai soltando as bombas e o segundo ajudou bastante (e é um ótimo side out, na minha opinião).
Side é muito opcional, nós brigamos no dia antes do GP e eu optei por não levar NADA que seja usável contra Tron e Valakut pelo fato de serem matchs bem ruins e, mesmo adicionando alguma coisa do side, não é algo que vá chegar nem nos 50-50. (Incrivelmente, ganhei de 1 valakut, 3 tron e perdi para 1 tron-o campeão).
Pra mim, de longe, é melhor deck. Mas, há um carisma especial sobre ele, pq jogo com o deck há bastante tempo.
Com a chegada de War 3 cartas que serão bem estudadas para adicionar ao deck:
Ashiok será um perfeito side contra bastante coisa, inclusive o Valakut;
Zona de Explosão, mas, não sei ao certo qual land sairia para colocar uma incolor, mas, é algo que resolve contra Boggles, por exemplo.
Preço da Traição que serão de grande ajuda num mirror e outros matchs.

Daedolon (30/04/2019 13:05:31)

Qual é mais fácil de adaptar ao formato Modern (e, consequentemente, tem mais chances de lidar com todos os baralhos adversários): The Rock ou Jund?

Ruda (30/04/2019 11:48:31)

Se a opção for zero Bobs eu prefiro só usar 4 Trackers, estava bem ruim usar esfolador por conta do ambiente cheio de bolts.


É possível sim, mas soulsé para ambiente mais lentos e grinds.


No auge do Fênix, alguns decks super agressivos apareceram, como o Shadow Zoo que fez top8 em Bilbao, esses decks realmente colocaram pressão no Tron. Mas conforme o meta vem se ajustando e controlando o fênix, esses decks tem caído, e assim, como você apontou, o Tron volta a crescer.

yTzSaveMe (30/04/2019 11:42:20)

Adri podes usar sim mas a versão do BG com esfolador e uma versão mais da pancadaria do deck e uma versão que lida menos com a mesa mas tem muito poder de fogo e uma versão que já usei e as duas são fortes só depende do meta da sua cidade

cwnannwn (30/04/2019 11:18:07)

Por que fênix teria empurrado Tron "para as bordas" se Tron é um dos piores matches pra fênix?

Desde que KCI foi embora Tron só vem crescendo...

pedro13 (30/04/2019 10:34:26)

Parabéns pelo artigo!

Existe a possibilidade de colocar lingering souls nesse deck, fazendo os devidos ajustes? Acredito que elas realmente valem a pena.

AdriGoblin (30/04/2019 10:32:59)

Rudá, vc acha que dá para jogar sem os Bobs, usando 3 Tracker e 1 ou 2 Esfolador Macabro? To sem grana pros Bob..rsrs