Grrrrr, Invitational!!!!
26/03/2019 10:05 - 3,811 visualizações - 3 comentários

A discussão BO1 vs BO3 virou uma pauta para o Magic assim que tivemos o nascimento do Arena. O programa começou com a BO1 e inclusive fez sua primeira temporada de Mythic neste formato. A crítica à essa abordagem é que ela muda completamente como pensamos o Magic, apenas uma partida nos deixa muito mais suscetíveis a perder por Mulligans, além de aumentar em muito o valor de baralhos que consigam free wins, essencialmente os aggros. A Wizards pensando nisso mudou o algoritmo das mãos inicias do Arena e tivemos mais um fator que diferenciava a BO1 da BO3, você podia forçar mais ainda sua base de mana no BO1, já que o algoritmo tentava sempre que a melhor mão possível para que você realizasse uma partida de Magic, com um número bom de mágicas e terrenos. Ou seja, BO1 criou uma nova maneira de encarar o Magic, abrindo mais janelas para deckbuilding e criando um metagame próprio.Jogar a temporada inteira de Ladder apenas nesse formato foi bem diferente do normal, mas por ser um sistema de ladder e não um torneio normal, confesso que foi uma experiência não muito agradável, já que o sistema privilegia o tempo que você dedica ao jogo e não necessariamente o quão bem você está jogando.


Com tudo isso em mente eu venho evitando a BO1, priorizando a praticidade e ajuda para treinos que a BO3, enfim lançada no MTG Arena, pode me proporcionar. Mas no começo do mês recebi o convite para participar do Bazar Invitational, um torneio nos moldes do Myhtic Invitational, decks de BO1 em uma BO3. O evento funciona assim: você inscreve o deck A e o deck B e enfrenta A x A e B x B do oponente, na terceira e decisiva partida, ambos os jogadores podem escolher quaisquer decks, A ou B. Nesse sistema ainda temos as matchs do BO1 e a questão das free wins, mas jogar uma BO3 faz com que o Mulligan pese menos, e o terceiro game é onde a parte da estratégia fica mais forte, criando um mindgame com o oponente onde o “eu vou de x”, “ele acha que vou de x logo irei de y”, “ele acha que eu acho que ele acha que vou de x”, e toda a série em cima disso, criam um momento de decisões importantes.


Para me preparar para o torneio eu treinei com o Sandoiche, que também participaria do torneio. Rapidamente concluímos que o metagame seria Monos (Blue, White e Red) e Esper, sendo que no caso do Esper, essa era a abordagem que nos parecia a melhor:


Esper Control
Por Ruda
3818 visualizações
25/03/2019
R$ 821,74
R$ 1.400,13
R$ 2.692,85
3818 visualizações
25/03/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Mágicas (30)
4  Optar 0,23
1  Demover  0,35
4  Dissolução do Pensamento  1,19
1  Instruções de Missão  5,64
2  Momento de Avidez  0,09
4  Revitalizar  0,07
2  Grito do Carnarium   0,45
3  Mortificar   0,48
3  Aquisição do Mentor   3,80
3  Desprezo de Vraska   4,50
3  Ira de Kaya    5,50
Artefatos (1)
1  O Sol Imortal 50,00
Encantamentos (4)
3  Acuidade de Dovin   0,13
1  A Conjectura do Mirari  0,42
Terrenos (26)
4  Capela Isolada9,24
4  Catacumba Submersa8,90
4  Fonte Santificada31,00
4  Fortaleza Glacial9,90
2  Pântano0,00
4  Sacrário Ateísta34,50
4  Túmulo Aquático51,95
61 cards total

Sideboard (15)
1  Graça Curativa 0,05
1  Luneta Enfeitiçada 3,40
1  Negar  0,05
1  Ego à Deriva   2,49
2  Limpar a Mente  0,04
1  Sacramento Sanguíneo   0,40
1  Aprisionamento de Ixalan  0,35
1  A Conjectura do Mirari  0,42
1  Lyra, Portadora da Alvorada   19,08
1  Nova Purificadora   5,50
1  Teferi, Herói de Dominária   94,05
1  Absolvição Etérea   0,73
1  Manipulação em Massa      2,00
1  Nezahal, Maré Primordial   4,50


Em um metagame com poucos controles eu realmente gosto dessa versão, ela consegue ter um leque realmente forte de remoções e depois do jogo controlado é mastermind para o que te faz feliz. A ideia é boa, mas o deck mais jogado do evento foi o Esper, o que faz essa versão realmente fraca, ela simplesmente tem zero counters e poucas interações, o que a faz um midrange ruim.
 

O Esper foi uma escolha não tão feliz, mas o segundo baralho foi realmente um achado do Sandoiche e é sobre ela que quero falar mais, o Gruul Aggro.


Gruul Aggro
Por Ruda
3799 visualizações
25/03/2019
R$ 463,41
R$ 841,90
R$ 1.623,22
3799 visualizações
25/03/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (27)
1  Arpoador Kraul  0,24
3  Destemida da Frota Macabra  10,90
4  Goblin Zhur-Taa  0,17
4  Guardião da Câmara de Crescimento  4,40
4  Goblin Lança-correntes   3,12
4  Quebra-mágicas Gruul   5,02
4  Fênix Reavivante   13,00
3  Dragão Avérneo de Skarrgan   7,82
Mágicas (8)
4  Choque 0,05
2  Golpe Relampejante  0,20
2  Colidir // Colosso  /  0,17
Terrenos (25)
1  Floresta0,00
9  Montanha0,00
4  Penhasco do Raizame7,50
3  Portão da Guilda Gruul0,07
4  Solo Pisoteado38,00
4  Território Não Reivindicado5,95
60 cards total

Sideboard (15)
1  Campo da Ruína11,00
1  Fogo Devastador  2,50
1  Golpe Relampejante  0,20
1  Lianas Ardentes  7,64
1  Luneta Enfeitiçada 3,40
1  Canhonada Ardente  0,25
1  Carniceiro Gorja da Morte  0,81
1  Enfrentar com Fogo  0,18
1  Ritmo dos Selvagens   2,49
1  Sábio da Reivindicação  0,30
1  Varinha do Caos 0,50
1  Arruinar // Ameaçar  /   0,50
1  O Sol Imortal 50,00
1  Tirano da Carnificina   15,00
1  Vorme Devastador    2,45


O Gruul é um deck que está cada dia ganhando mais espaço no BO3 e que tem matchs muito boas para a BO1.


- Contra RDW temos as principais cartas que vencem o mirror de RDW (Fênix, Goblin e burns) e nossas criaturas são maiores. Aqui nossa postura é de controle e assim que estabilizar, começamos a fazer nossos ataques grandes e finalizamos rápido.

- Contra WW a partida é parecida com a do RDW, mas eles tem remoões melhores e podem explodir com mais facilidade. Ainda sim, se levarmos para o late game, nosso dragões e fênix fazem o trabalho.

- Esper control é o motivo de usarmos side, para o caso de nossa pirata acertar um Mastermind e assim podemos pegar qualquer coisa que vá nos incomodar. Nesse jogo somos o agressor e precisamos sair curvando as criaturas, com exceção do Zhur-Taa, sempre fazemos nossas criaturas com ímpeto. (Fazer o goblin com resistência dupla dá utilidade para o Carnarium e o Momento de Avidez do oponente).

- Na Mirror o lema é “Go Big or Go Home”, sendo que tudo que voa é MVP.
 

Com isso em mente, acertamos a lista para o torneio, sendo que eu e Sandoiche caímos no chamado “grupo da morte”, com Carol Anet e Jabaiano. Após duas rodadas eu já estava classificado para o top8 e muito disso estava nas costas do Gruul que foi perder apenas no top8, contra o WW do Bertu.


Para quem procura um deck que tem uma match ok contra o atual metagame do BO1 e ainda sobe rápido na Ladder, eu realmente recomendo o Gruul, principalmente pela velocidade dos jogos.


Sobre o torneio e novos métodos de jogar, eu já gosto de pensar que um dia teremos torneios do HS, BO1 onde você inscreve vários decks, seu oponente bane um e vocês jogam uma BO3 ou BO5. O sistema do Invitational, com decks BO1 em uma BO3 já simula isso e é uma alternativa para aproveitar o que o Arena vem nos oferecendo, mas sem perder pontos importantes de equilíbrio, que fazem o competitivo do Magic tão saudável.


Até mais!


Ruda

TAGS: 

Rudá Andrade dos Reis ( Ruda)
Aficionado por decks azuis agressivos, mas que não dispensa um bom Siege Rhino nas horas vagas, está no Magic desde 2003, em Flagelo.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
LigaMagic App



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

memnarch (27/03/2019 10:12)

Parabéns pelo artigo, man. Finalmente consegui um tempinho pra ler rs

cwnannwn (27/03/2019 09:20)

BO1 novo cancro do Magic.

VIP STAFF sandoiche_13 (26/03/2019 16:24)

Parabéns pelo Top 8 mano! Esse Gruul realmente é um achado, o deck vem mandando muito bem na ladder (cheguei a alcançar #5 no Mítico esses dias na Live) e eventos construídos para mim, e também tem conseguindo resultados no BO3 também, vide Magic Fest Kyoto.