Vivendo o Sonho - Bicampeão do CLM Modern
15/02/2019 10:05 - 6,482 visualizações - 14 comentários

Olá! 

Dizem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, mas nesse final de semana um Pináculo caiu, e esse lugar foi o centro de convenções do Frei Caneca - onde eu pude viver o sonho - tendo a felicidade de me tornar Bi-campeão da Grande Final do Circuito LigaMagic Modern. De edição número 12 e até então a última realizada nos moldes como foi - para quem não estava no evento, ou não ficou sabendo através de amigos/conhecidos/internet - foi anunciado pela organização que essa seria a última Grande Final do CLM. Isso é uma pena, já que nessas várias edições que me classifiquei e joguei pude fazer vários novos amigos, fortalecer vínculos já existentes, e ter uma dimensão do impacto do meu trabalho com o jogo nas várias regiões do país.


Participar em uma Final CLM era algo almejado por muitos jogadores, e me sinto honrado em ter tido a oportunidade me sagrar campeão das duas maiores edições já realizadas em termos de número de jogadores (CLM 10 Modern e CLM 12 Modern),  e acredito que dificilmente isso seja um fim. O CLM mostrou que tem espaço sim, para circuitos independentes funcionarem no Brasil (como a Liga Paulista Legacy e o Nacional Pauper já fazem). O público quer jogá-los, e mesmo outros eventos como grandes torneios Open com inscrição mais cara e boa premiação (caso do KSOM no final do ano passado), também vão ser a garantia que continuaremos tendo bons torneios para participar.



No sábado eu iria jogar a Final Standard, e minha escolha não poderia deixar de ser o "safe" Sultai Midrange, deck que consegui resultados mais equilibrados na semana anterior no MTG Arena.

 

Sultai Midrange
Evento:
6715 visualizações
08/02/2019
R$ 917,73
R$ 1.554,07
R$ 9.882,78
6715 visualizações
08/02/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (24)
4  Elfos de Llanowar 0,16
4  Andarilha das Copas Tritã  0,20
3  Andarilho Vicejante  0,10
2  Ceifador da Meia-noite  6,98
3  Krasis Hidroide   64,00
4  Patrulheira Jadeluzente   2,99
2  Tomadora de Reféns   5,96
2  Tirano da Carnificina   14,89
Planeswalkers (4)
1  Karn, Rebento de Urza 32,25
3  Vivien Reid   15,13
Mágicas (8)
2  Demover  0,95
1  Troféu do Assassino  54,23
2  Desprezo de Vraska   3,49
3  Sentir // Sentido  //   0,37
Terrenos (24)
2  Catacumba Submersa9,95
4  Cemitério da Floresta6,45
4  Charco da Procriação45,00
4  Floresta0,00
1  Memorial à Loucura0,17
1  Pântano0,00
1  Porto do Interior13,25
3  Túmulo Aquático50,26
4  Tumba Abandonada24,95
60 cards total

Sideboard (15)
4  Coagir 0,04
1  Andarilho Vicejante  0,10
1  Golpe Desdenhoso  0,05
2  Negar  0,05
1  Brontodonte Destruidor   0,48
2  Empesteiro  0,90
1  Grito do Carnarium   0,45
2  Ladra da Sanidade   9,09
1  Desprezo de Vraska   3,49

 

Eu abri 2-0 ganhando de Mono Blue Tempo e Boros Angels, mas engatei uma sequência de quatro derrotas seguidas para Izzet Phoenix, Esper Midrange, Izzet Drakes e Mono Red. Acredito que minha lista estava bem preparada para um field onde esperava enfrentar mirrors e controles, e ambas as variações de Izzet e o Mono Red me pegaram num "nível diferente" que eu esperava. Mesmo contra o Esper Midrange, não acho que eu tenha jogado o meu melhor Magic, tendo sido ganancioso em alguns pontos (deixar de matar um Teferi para conectar Ladra de Sanidade nele, jogar a segunda Ladra que era dele e tomar um Assistente de Detenções são alguns exemplos de jogadas em que eu fui punido). Com a quarta derrota eu não tinha mais porque jogar a última rodada, e preferi voltar cedo para a casa do amigo Diego Cichello, onde depois de uma breve ida ao supermercado eu simplesmente dormi e acordei só no meio da madrugada.


Quanto ao Modern, eu não estava exatamente no meu ápice de preparação. Por causa do MTG Arena e das streams no Twitch, eu estava jogando muito Standard e Draft, mas quase nada de Modern. Minha preparação para esse evento, além da carga previamente adquirida com o deck treinando para o GP e o RPTQ no ano passado, foi a de acompanhar as evoluções de listas na internet e duas ligas competitivas jogadas no Magic Online.

 

De acordo com o estudo de metagame que eu havia realizado, eu imaginava Burn presente em grandes quantidades. Além disso, eu não poderia ignorar o metagame do MTG Goldfish, onde tanto Izzet Phoenix como Grixis Death's Shadow seriam bem representados. Outros baralhos de focados em criaturas  como Humans e Spirits me pareciam que seriam bem utilizados, mesmo com a match ruim contra Phoenix, já que várias pessoas não abandonariam o deck em que têm um expertise maior. Valakut e Tron, ao contrário de outras finais, acho que estariam um pouco mais em baixa, e eram decks que eu não esperava tantos. Assim como os combos, colocados em xeque pelos decks tribais disruptivos.

 

Com isso, apesar de não ser a melhor escolha do mundo, RG Valakut também não me parecia ser a pior de todas. Eu não tinha colocado treino o suficiente em nenhum outro deck, e esse era o único que eu me sentia confortável o bastante. A lista do Marshall TJ que fez Top 8 num GP nos EUA agora no início do ano parecia bem equipada para enfrentar um mar de Burn e Phoenix, com 2 Flame Slash e 2 Courser of Kruphix como metacalls.


Foi esse main deck que usei nas Ligas do MTGO e que me agradou, eu só adaptei o sideboard para o que eu esperava aqui, adicionando um terceiro Baloth Obstinado (Burn), um Chameleon Colossus (Death's Shadow) e Explosivos Fabricados (ao invés do Shatterstorm, que era bem específico contra
Whir Prision e Hardened Scales, o Explosivos acertava Humans, DS, Burn, Boggles, Infect, basicamente, qualquer coisa mais fora da curva que entrasse em meu caminho). Roast adicionava mais uma remoção contra Thing in the Ice que também acertava Gurmag Angler. E o segundo Reclamation Sage, apesar de não ser um dos meus cards favoritos, era sinceramente a opção menos pior para usar um hate de encantamento adicional (Leyline/Blood Moon) - prefiro a criatura tutorável por Summoner's Pact do que outras destruições com vantagens ínfimas (Destructive Revelry, Nature's Claim). Seal of Primordium só nas listas com Bloodbraid Elf, onde ele pode "ficar guardado" caindo no cascade. Os cards que eu tive de abrir mão, como Thragtusk, Huntmaster of the Fells, Ancient Grudge e Abrade acabaram "compensados" por outras escolhas, talvez tenha ficado devendo só em hate pesado para artefatos mas eu não esperava eles em grande quantidade aqui na final, e mesmo Affinity ou Scales meu plano de remoções vermelhas também seria efetivo.

 

RG Valakut
Evento:
12798 visualizações
08/02/2019
R$ 1.517,68
R$ 2.320,29
R$ 5.778,37
12798 visualizações
08/02/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (10)
4  Ancião da Tribo Sakura  2,00
2  Centaura-caçadora de Crufix   10,79
4  Titã Primordial   34,95
Mágicas (21)
2  Pacto do Invocador 42,00
2  Golpe Ardente 0,49
2  Raio 8,99
3  Busca Longínqua  0,50
2  Explorar  0,20
4  Buscar pelo Amanhã  0,10
2  Fúria dos Deuses   5,00
4  Metapaisagem   50,00
Encantamentos (2)
2  Expedição ao Coração de Khalni  0,25
Terrenos (27)
3  Clareira das Cinzas6,99
4  Contraforte Arborizado89,99
3  Floresta0,00
6  Montanha0,00
4  Solo Pisoteado36,42
3  Urzal Ventoso40,00
4  Valakut, o Pináculo Derretido52,00
60 cards total

Sideboard (15)
1  Explosivos Fabricados 73,50
1  Jaula do Escavador de Túmulos 7,30
1  Relíquia de Progenitus 14,95
1  Calcinar  0,19
3  Esfera Amortecedora 6,00
1  Fúria dos Deuses   5,00
1  Rastreador Incansável  39,90
2  Sábio da Reivindicação  0,30
3  Baloth Obstinado   3,50
1  Colosso Camaleão   7,99

 

O torneio contou com 215 jogadores e 9 rodadas de suíço (por causa da quantidade de jogadores com BYE).

 

R1: Awarded BYE 2x0

Graças ao bom resultado no KSOM ano passado (que também era um Aberto CLM), eu entrei para jogar com BYE nessa Grande Final. Começar com uma vitória, e longe de pareamentos esquisitos é sempre bom e sem dúvidas uma grande ajuda num torneio longo como esse.


R2: Humans Caio Errerias

Uma das coisas que gosto no CLM é a possibilidade de reencontrar jogadores que estamos sempre trombando nos torneios, e o Caio é um deles. Jogamos no Day 2 do Grand Prix ano passado, e ele estava de Living End (o deck que ele sempre usa), então foi meio natural colocar ele nisso ao abrir
minha mão inicial. Que estava ótima para pegar Living End, com dois Search for Tomorrow, Scapeshiftt, e pronta para o ramp. Seria uma pena se ele fizesse um Meddling Mage para Search, que foi o que aconteceu quando ele me baloou no 2x1. Apesar disso, ele não veio muito rápido, e com um Anger of the Gods encontrado do topo num momento crucial consegui virar a partida e resolver um Scapeshift da vitória. Já nossa segunda partida foi definida em uma só carta: Centaura-cacadora de Crufix. Ela entrou no turno 3, desceu terreno do topo, segurou no peito uma Thalia, Catara Herege, um Meddling Mage pra Search for Tomorrow, um Phantasmal Image copiando Meddling nomeando Anger of the Gods (que eu tinha na mão), e só foi superada por um Champion of the Parish que ficou 5/5. Mas, com o tempo + vida que ganhei, foi o suficiente pra conseguir lidar até com um segundo Phantasmal Image nomeando Anger com Flame Slash, até eventualmente limpar toda a mesa com Anger e matá-lo de Scapeshift contra um Paróquia solitário.

2-0 - Partida (2-0 no torneio)

 

R3: Burn Rodrigo Carvalho

Essa foi uma partida para testar realmente o quão bem preparada estava minha lista voltada para Burn. O Rodrigo veio bem agressivo, me burnou rápido no G1 com Boros Charm final, mas no pós-side ele vem mais devagar (um jogo com uma só land) e em outro faço Obstinate Baloth cedo, que toma Path to Exile para ele continuar atacando, mas que daí significa um Primeval Titan no 4 contra um jogo pouco desenvolvido do lado dele.

2-1 - Partida (3-0 no torneio)

 

R4: Tron Danilo Costa Geraldes

Se tem mais alguém que eu conheci através dos CLMs da vida, esse alguém é o Danilo - jogamos uma mirror de Ad Nauseam na Final CLM 9, onde ele levou a melhor, e ano passado nos enfrentamos em um Aberto em Campinas onde eu estava de RG Valakut e ele de RG Eldrazi e eu levei a melhor. Eu estava sem Alpine Moon/Crumble to Dust, que são os hates pesados mais direcionados para pegar Tron, mas ainda tinha 3 Damping Sphere. No G1 não fez muita diferença, ele abriu com um Wurmcoil Engine rápido contra meu mulligan a 5, e eu jamais consegui juntar recursos suficientes para matá-lo naquelas mãos que compram todos os Raios, Flame Slash e Anger of the Gods do mundo. No G2, eu já venho mais rápido, e consigo emplacar um Scapeshift que ele não tem resposta. Enquanto que no G3 é a vez dele de dar uma zicadinha, mais a ajuda da minha Damping Sphere tirando ele de
outs enquanto eu rampava Titã.

2-1 - Partida (4-0 no torneio)

 

R5: Abzan Midrange 2x0 Felipe Dias Correia

O Felipe é outro oponente que eu enfrentei em CLMs passados, e geralmente ele está jogando com algum BGx da vida. E de fato, dessa vez a arma dele era o Abzan Midrange, baralho que parecia extremamente bem posicionado em um metagame de Burn, Phoenix, GDS e outros BGx. Afinal, em terra de midrange, quem tem Almas Penadas é rei, só que esse não era o tipo de jogo que meu Scapeshift estava interessado - no G1, mesmo ele descartando um ramp meu, eu fiz meu jogo e dei Scapeshift letal no turno 4 na play, sendo a jogada mais avançada dele a Almas Penadas no três. No G2 já temos uma partida bem mais interessante - eu abro de Relic of Progenitus no 1, contra a Shambling Vent dele. Com isso, ela escapa do descarte, mas o restante da minha mão com Roast, Explosivos Fabricados e ramp não. Ele descarta o meu ramp, e com isso meu jogo fica bem atrasado. Mas ele não consegue bater com o Tarmogoyf dele enquanto fico ativando e Relíquia. Ele então desce um Fulminator Mage, que eu tendo um Valakut, o Pinaculo Derretido em jogo, paro de ativar a Relíquia para "valor", contornando um Surgical Extraction. Eventualmente ele acaba estourando o Fulminator para me atrasar nas manas, mas a Relíquia segue me protegendo, e o segundo Goyf dele me chama para dar o Explosivos Fabricados. Em certo momento, eu faço Primeval Titan, e ele sem nenhuma janela boa para encaixara o Surgical Extraction concede a partida.

2-0 - Partida (5-0 no torneio)

 

R6: Bant Spirits Cauê Vianna

Essa partida foi gravada na câmera pelo Cabrito Montês, e o vídeo deve ir ao ar no YouTube em breve! O Cauê estava de Bant Spirits, que considero ser uma match equilibrada. Ele vem forte de Errante do Mausoleu no G1, eu faço um Farseek no 2 que ele opta por não sacrificar para não perder o clock, mas com isso consigo agilizar meu jogo com Courser of Kruphix na volta. Ela vai me ganhando uma vida preciosa e gerando valor no meu topo, limpando lands sequenciais até eu achar um Primeval Titan que consegue estabilizar os voadores e depois fechar a partida. Nosso segundo game é igualmente próximo - venho mais devagar, com um Explosivos na 2 limpando o Selfless Spirit dele, mas continuo sendo punido por um Mausoleum Wanderer. Eu faço Baloth Obstinado, que toma Spell Queller, e ele aumenta bem a mesa dele me clockando com um segundo Mausoleum, Supreme Phantom e Drogskol Captain. Eu tenho um segundo Baloth, que acaba resolvendo, e antes dele me aplicar o letal, eu tenho uma chance de tentar roubar a partida caso ele não tenha alguma jogada instant speed (Collected Company, Spell Queller, Unified Will ou Rattlechains). Com exatas sete manas, dou Flame Slash no Drogskol. Caso ele sacrifique um Wanderer, eu posso não pagar, e dar Scapeshift letal com 6 desviradas pagando o 2 de poder do outro Wanderer. Caso ele deixe resolver, posso dar Scapeshift letal com 6 desviradas, pagando duas vezes o 1 de poder de cada Wanderer. A mão dele só tem Path to Exile, e com isso consigo "roubar" um G2 difícil.

2-0 - Partida (6-0 no torneio)

 

R7: Hardened Scales 2x1 Rudá Andrade dos Reis


Pela primeira vez no lado dos jogadores, nosso querido Rudá da LigaMagic estava X-0 com Hardened Scales, e esse "jogo de compadres" com quem eu considero um grande amigo valia uma vaguinha garantida no Top 8. Mas, aquela coisa, amigos amigos negócios à parte, e vamos ao jogo. Ele mulliga a 5 no G1, mas consegue ir fazendo o jogo dele com Arcbound Ravager, Balista Ambulante, Inkmoth Nexus, Hardened Scales e Welding Jar. Eu compro Valakuts naturais, mas não consigo achar janelas boas para matar nada, por causa do Ravager. Em um certo ponto do jogo, decido começar a sacrificar as Sakura-Tribe Elder para tentar aproveitar o trigger adicional no meu turno, mas ele consegue contornar do "jeito certo" passando vários marcadores pra Inkmoth - e minha terceira Sakura era inútil, porque eu já tinha comprado todos os básicos do deck. O G2 comigo na play é mais tranquilo, com ele abrindo uma mão de um terreno com Mox, que atrasa um pouco o jogo dele, mas só o meu Khalni Heart Expedition->ramp->Primeval Titan na 4 com trigger foi suficiente para ele recolher. Meu G3 decido por um keep arriscado, com uma shockland, 2 Search for Tomorrow, Flame Slash e hate cards. Decido por manter, já que estava na draw, e mesmo se eu perdesse o land drop, eu ainda tinha bastante jogo. Ele não vem super explosivo, faz um Hangarback Walker pra 4 marcadores com Scales + Llanowar Reborn. Mesmo perdendo o segundo land drop no turno 2, meus Searches vão resolvendo e eu lido com o constructo dele usando Flame Slash, e depois Anger of the Gods tirando Steel Overseer + toptéros. Depois, vou respondendo os bichos que ele tenta fazer usando triggers de Valakut, até que uma hora acho um Primeval Titan que sela o jogo.

2-1 - Partida (7-0 no torneio)

 

R8: ID Israel Pontes


O ID com o Israel foi um pouco arriscado para o lado dele, já que ele estava 6-0-1 enquanto eu era o único 7-0, eu expliquei que tinha chances dele ficar de fora, que no lugar dele eu não daria o ID, mas ao mesmo tempo que era praticamente garantido passar algum jogador com 21 pontos no Top 8, talvez até mais de um. Ele pensou no caso, e quando a rodada começou me propôs o ID, que eu prontamente aceitei.

0-0 - Partida (7-1-0 no torneio)

 

R9: ID Gustavo Takizawa


Já com o Gustavo, ele estava 7-1 e era garantido de entrar. Com isso, sou o único jogador com 23 pontos e passo tranquilamente em primeiro no suíço.

0-0 - Partida (7-2-0 no torneio)

 

Todos os meus jogos do Top 8 foram gravados pelo Cabrito Montês, então provavelmente em breve estarão no YouTube dele!

 

Top 8: Izzet Phoenix 2x0 Israel Pontes


No final das contas, o Israel acabou passando em oitavo com 21 pontos, 6-0-3, portanto o único jogador ainda invicto no torneio além de mim além de ser o único com 21 a entrar. Não é a partida que eu mais gostaria de enfrentar, estando ele de Phoenix, mas eu também tinha alguns cards pro match. No G1, ele vem rápido, voltando duas Arclight Phoenix cedo, mas sem flippar Thing in the Ice que veio num dos últimos draws dos cantrips dele. Com isso, ele me deixa a 14, e no turno seguinte consegue me dar mais 13 com o Awaken horror. Só que ele tinha descartado um Gut Shot no outro turno, e teve de usar todas as manas com Faithless Looting do cemitério para conseguir flippar o horror. Graças à essa jogada, tive a oportunidade de voltar de Pacto->Sakura e Scapeshift letal. Já no G2, meu deck alinha melhor, e consigo dar Anger of the Gods em duas Phoenix, depois Roast no Thing in the Ice. Ele ainda tem um Monastery Swiftspear que me coloca num range perigoso de double Raio, mas ele não tinha e o Primeval Titan conseguiu fechar a partida antes.

 

Top 4: Burn 2x0 Diego Brito


O Diego estava de burn, e a vantagem do play/draw foi bem relevante - no G1 ganho a partida fazendo o tradicional Scapeshift pra 18 turno 4, quando ele também tem a kill na volta. Já o G2 foi onde mais uma vez a Courser of Kruphix brilhou. Depois dele torrar vários burns em mim com a ajuda de um Light up the Stage, minhas remoções nos bichinhos pequenos seguidos de uma Courser of Kruphix me ajudaram a estabilizar. Ele torra a mão dele e eu caio a 4, ganho um de vida indo a 5 e deixando ele sem outs, mas revelando um Baloth Obstinado no topo. Eu pondero fazer um Scapeshift para somente "ganhar vida", mas como era a única carta relevante da minha mão e ele não tinha outs, eu ia passar o turno e ficar com o Baloth do topo, mas ele acaba concedendo antes já que a minha vida ia começar a só subir graças à Centaura.

 

Finals: Grixis Death's Shadow 2x1 Carlos Tibério


Curiosamente, antes desse CLM minha última partida de Modern no papel, físico, tinha sido contra o Tibério no Top 4 do KSOM ano passado, quando ele me eliminou em duas partidas relativamente rápidas com a dose certa de clock + disruption. O G1 parecia estar pelo mesmo caminho, eu keepo uma mão relativamente lenta, e ele consegue emplacar um clock rápido com Death's Shadow e Temur Battle Rage que eu não tenho muito o que fazer. Já no G2, ele vem super agressivo nos Thoughtseize e shocklands, caindo a pouca vida, mas não consegue por muito clock. Eu encontro Tireless Tracker, que seguido de uma fetch me dá um certo gás e força ele a usar Dismember por estar com pouca vida. Vou achando outros bichos, como Courser of Kruphix, e tanto ganhando vida+bloqueadores, como ameaçando a vida dele caso ele tentasse algum ataque ousado. Esse tempo foi o bastante para eu conseguir fechar a partida com os triggers da Valakut. 

Uma final digna tem que ter três games, e aqui não poderia ter deixado de ser diferente. Vamos para o G3, agora com ele na play, e sou obrigado a mulligar e keepar uma mão de 6 meio duvidosa, com somente Cinder Glade e Valakut de terrenos. Isso atrasa um pouco meu jogo, mas ele também fica travado em somente uma Blood Crypt e uma Island, não exatamente os melhores lands para ele desenvolver o jogo dele. Isso me dá tempo de ir rampando e avançando meu jogo com a Courser. Tenho na mão Scapeshift e Titan que ele conhece, e decido forçar Scapeshift com uma desvirada ncontra o Stubborn Denial dele sem o feroz. Ele então gasta um Disdainful Stroke, o que deixaria o caminho livre para o meu Titan na volta. Só que o meu Titan toma um Thoughtseize, e ele cai a 7 de vida. Mas, como eu tenho duas Valakuts em jogo, bastaria achar formas de triggar, e eu conseguiria matá-lo. O deck é bem equipado pra esse tipo de jogo, e meu primeiro draw é um Urzal Ventoso, que fica ali paradinho. Ele decide então que não dá mais pra esperar, e avança o jogo dele com Gurmag Angler e Death's Shadow. Eu compro uma Floresta, mas ainda dá pra tomar a primeira paulada sem morrer pra um Temur Battle Rage já que se ele estourar a fetch agressivo, eu estouro meu Urzal e mato ele. Mais um ciclo de turnos, eu compro uma segunda floresta básica. O único terreno que não servia para triggar. Só que agora não tem mais como eu jogar em volta do Temur Battle Rage. Se ele tiver, ele tem e vai ser o campeão. Pra minha felicidade, ele não tinha. Ele faz um novo ataque, eu faço os bloqueios, e caio a 4 de vida com um Urzal Ventoso e duas Valakuts em jogo. Ele a 7, tendo três terrenos mais uma fetch land desvirada. É agora ou nunca. Meu draw: Primeval Titan. Que vai direto pro jogo, e faz o Tibério ponderar suas opções. Ele começa estourando a fetchland, e caindo a 6 de vida, exatamente na conta de dois triggers de Valakut. A tocaia foi armada: se eu estouro meu Urzal, consigo dar o letal, mas eu cairia a 3 de vida. E poderia morrer para um Lightning Bolt. Muita calma nessa hora. Respira, deixa resolver a fetch, ele ainda precisa lidar com o Titã na pilha. Não estouro a fetch, ele então é forçado a fazer Snapcaster Mage->Disdainful Stroke do cemitério dele (que poderia ser um Lightning Bolt, caso eu estourasse minha fetch antes). O que me dá a abertura para, com ele full tapped, estourar o Urzal, buscar uma montanha e ativar os dois Valakut, o Pinaculo Derretido da vitória e partir para o GG. E que jogo, emocionante e aberto até o último turno, contra um oponente qualificado e treinado de Death's Shadow como o Tibério, fator que engrandece minha conquista.

 

Antes de finalizar o Report, gostaria de agradecer a todo o pessoal que me ajudou imensamente para esse evento. Bruno Calazans e Marcela Almeida com os treinos e discussão dos slots finais, melhor time e melhor trio. Marshall TJ, gringo que volta e meia colo na stream e troco ideia sobre listas e
jogadas, que popularizou esse main deck que utilizei no torneio. Guilherme "Delicado" por toda a ajuda logística, e claro, emprestando o mesmo baralho com a sorte campeã da outra vez. Minha mulher Geni Souza pelo apoio integral em todos os momentos, principalmente na escolha desse meu "ofício" chamado Magic: the Gathering. E claro, toda a galera que ficou na torcida, mandando energias positivas, trocando ideia e palavras de incentivo antes, durante e depois do torneio - tamo junto, e vamos que o grind não pode parar!

 

Dá um certo aperto no coração pensar que aqueles dois triggers foram a última "stack" do Circuito LigaMagic. Pensar que, do jeito que conhecemos e amamos o CLM, tudo que ele foi e representou para a gente, essas duas Valakuts seriam a última coisa que veríamos. Por outro lado, saio com uma sensação de dever cumprido e imensamente feliz de poder ter sido parte de tudo isso, dessas duas Valakuts serem as do meu baralho, de conseguir sair do Frei Caneca com meu segundo troféuzão, e gravando meu nome como bi-campeão das duas maiores Grandes Finais CLM já realizadas. Como eu disse no meu report de campeão do ano passado. Muitas coisas podem mudar, o CLM acabar, continuar por muitos anos, o mesmo do Magic. Posso ir muito bem nos torneios a seguir, ou dropar horrivelmente de todos eles, mas algo não mudará: SOU BICAMPEÃO DO CIRCUITO LIGAMAGIC MODERN!!!!


Abraços e até a próxima!

TAGS: 
Cards Store - Patrocinador Oficial LigaMagic Bolts
Epic Game - Patrocinador Oficial LigaMagic Bolts
Cards of Paradise - Patrocinador Oficial LigaMagic Bolts

Matheus Akio Yanagiura (VIP STAFF sandoiche_13)
Matheus Akio Yanagiura, mais conhecido como Sandoiche, começou a jogar em 2003, em Flagelo. Está sempre na vida do grind dos torneios, com destaque para o título do CLM 10 Modern, o maior realizado até então, e o Top 16 no Grand Prix São Paulo 2018. É um entusiasta do Magic competitivo e totalmente dedicado à produção de conteúdo referente ao jogo, publicando artigos periodicamente desde 2012, colaborando para o Blog da LigaMagic desde 2015 e atualmente produz vídeos em seu canal no YouTube Sandoiche's Grind e streama ao vivo regularmente na Twitch.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
LigaMagic App



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Xixoxu (18/02/2019 13:55)

Congratz!

CrazySeven (16/02/2019 21:20)

Parabéns!

sasuke (16/02/2019 17:00)

Parabéns Sandoiche, merecido demais.
Sou muito a favor da ideia de maximizar o baralho onde vc se sente mais confortável, uma ótima leitura de field.

Isso acaba sempre trazendo bons resultados, e vc sempre prova isso, não é de agora.

Ano passado eu praticamente joguei a temporada toda de Mardu Pyro, li alguns artigos e fiz algumas pesquisas e acabei "tunnando" o deck para essa versão com fênix e fiquei bem feliz com o top4

Que venha o GP haha

slambrer (16/02/2019 13:00)

Parabéns! A ultima partida tinha todo um cunho emocional, superação! Muito intensa e emocionante!

VIP STAFF sandoiche_13 (16/02/2019 01:49)

Valeu mano! É aquilo que gosto de falar mesmo, jogue para seus pontos fortes no Modern, não tente corrigir matchups que não tem o que fazer!


Valeu mano!


Valeu mano!


Valeu mano!


Valeu mano!



Hahahahaha boa! Valeu pessoal!


Acho que esse lance das cartas é mais questão de estarem melhor ou pior posicionadas. Parecia um bom momento para Courser e Flame Slash, e essas cartas foram diretamente responsáveis por vitórias no decorrer do torneio (Courser principalmente, e mais de uma vez). Valeu mano!

bincoleto (15/02/2019 18:06)

Muito bom seu artigo sandoiche, parabéns pelo bicampeonato.

PlayGround (15/02/2019 17:00)

Tem um monte de carta nessa lista que eu nunca usaria, o que só prova que você realmente é um visionário haha

Parabéns pelo resultado.

EduSL (15/02/2019 16:26)

auehueheuaheaueahueahaue
ENTREGUEM O TROFEU DE MELHOR COMENTÁRIO!

surfe (15/02/2019 14:50)

Parabéns!!
O nome desse deck deveria ser Sandoiche, com queijo derretido

WagMascara (15/02/2019 14:02)

Parabéns Sandoíche!

bincoleto (15/02/2019 12:03)

Muito bom seu artigo sandoiche, parabéns pelo bicampeonato.

STANDARD dial0g (15/02/2019 11:27)

Parabéns Matheus!
:)

Mutrol (15/02/2019 11:15)

Parabéns pelo resultado!

EduSL (15/02/2019 11:12)

Parabéns cara! Merecedor por conta da tua história e dedicação ao MTG. Nesse CLM tive a oportunidade de perceber que num formato tão complexo e com tantas decklists possíveis o melhor mesmo é jogar com o baralho com maior afinidade e não o deck "modinha" do momento. Algo que lembro de ter lido em um artigo seu no passado e que faz muito sentido agora. E você é prova disso, que acredita no RG Valakut que te levou ao topo!