Bancada do Juiz: Pense Cavalos, não Zebras
29/10/2018 10:05 - 2,904 visualizações - 14 comentários

 

“Tu viste aquele player no Pro Tour que desceu um terreno a mais?”
“Vi sim! Mó ladrão!”
“Ladrão? Mas como tu sabes que ele tava roubando?”
“Então…”
 
Olá, pessoal! Sejam bem-vindas a Bancada do Juiz! Puxem uma cadeira e fiquem à vontade, que vamos tratar de um assunto um pouco mais complicado.
Nos últimos anos, tivemos muitos casos de pessoas trapaceando durante um jogo sendo pegas, seja pelo olhar vigilante de judges e players, seja por espectadores assistindo uma partida gravada ou transmitida em tempo real. Enquanto isso mostrou alguns exemplos de “o crime não compensa”, também gerou um sentimento exacerbado de julgar a atitude de pessoas alheias, principalmente se estiverem em alguma posição de destaque. Consequentemente, temos um aumento em quantidade de pessoas clamando sobre “cheaters” (pessoas que trapaceiam) no Magic.
 
Ué Judge… mas isso é tão ruim assim?
 
Imagine que a primeira impressão ao se pesquisar nosso jogo seja de “um ambiente dominado por cheaters”. É compreensível que as pessoas tentem alertar a comunidade sobre uma possível trapaça acontecendo. No entanto, fazer isso sem conhecimento pode gerar muito mais alvoroço do que conscientização.
 
Faz sentido. E como melhoramos isso?
 
Primeiro de tudo, precisamos saber a diferença entre um erro e uma trapaça, dentro do Magic. Para isso, comecemos com a definição de Trapaça:
Guia de Procedimento para Infrações (IPG) - REL Competitivo
 
4.8. Conduta Antidesportiva - Trapaça
 
Definição
 
Uma pessoa quebra uma regra definida pelos documentos de torneio, mente para um oficial do torneio, ou nota uma ofensa cometida por si (ou por um colega de time) em uma partida e não alerta sobre ela.
Adicionalmente, a ofensa precisa cumprir com o seguinte critério para ser considerada trapaça:

O jogador precisa estar tentando ganhar vantagem através de sua ação.
● O jogador precisa estar ciente de que está fazendo algo ilegal.
 
Se todos os critérios não forem preenchidos, a infração não é Trapaça e deve ser tratada como uma infração diferente. Trapaça muitas vezes surge como fruto de um Erro de Jogo ou Erro de Torneio e necessita ser investigada pelo juiz ou juíza para se determinar a intenção e consciência.
 
Vamos dar uma olhada na parte em negrito. Existem dois requerimentos básicos para que uma trapaça aconteça: a pessoa deve estar quebrando as regras para ganhar vantagem, bem como deve estar fazendo isso conscientemente.
 
Mas pera aí, judge… ninguém vai sair admitindo “não, eu fiz de propósito para ganhar vantagem”.
 
Realmente, os casos de admissão de trapaça são raríssimos - normalmente, acontecem devido à players com má informação dada por “house rules” (regras específicas para os locais em que jogam), explicações erradas e inexperiência. É aí que entra a diferença de judges experientes, que trazem o diferencial de treinamento e experiência para fazer investigações. O fato é que, num torneio de Magic, tais investigações são feitas com o intuito de atrasar o torneio o mínimo possível. Portanto, judges principais de torneios maiores tendem a ser pessoas com uma grande carga de experiência investigativa.
 
Tá, judge… eu acho que eu entendi onde queres chegar.
 
Pois fique à vontade!
 
Então, se é necessário que haja uma intenção de quebrar as regras… não dá para saber com certeza se foi uma trapaça sem falar com a pessoa, é isso?
 
Perfeito! Existem casos em que a irregularidade é gritante, de forma que é possível assumir com segurança uma intenção. No entanto, extremos tendem a ser fáceis de lidar, e são aquelas situações em “áreas cinzentas” que acabam gerando a maior parte do alvoroço.
 
 
Pessoas que trapaceiam não são uma parte boa da comunidade, e é normal que a comunidade repudie tal atitude nociva. “Ninguém gosta de cheaters” é algo que se ouve com bastante frequência - dentro e fora do Magic. Assim como é importante apontar quando algo de errado acontece, para que pessoas que agem fora das regras não saiam impunes, bom senso e conhecimento antes de simplesmente chamar alguém de cheater ou de ter agido de má fé protege a reputação do Magic e de sua comunidade. Ninguém quer jogar um jogo ou participar de uma comunidade cheia de cheaters.
 
Saquei. Ei, judge… tu podes falar mais sobre algumas coisas que usam numa investigação?
 
Existem dois tipos de trapaça: a oportunista e a premeditada. Como os nomes já dizem, uma acontece quando a oportunidade surge: oponentes que colocam uma criatura que não deveria morrer no cemitério, conjurar um Veredito Supremo sem ter {W}{W}, etc. Por outro lado, a premeditada é aquela em que se vai até o evento planejando fazer: treinos de embaralhamento com manipulação de baralho, comprar cards extras, etc. Convenhamos: quem já viu os vídeos de pessoas pegas trapaceando em câmera deve imaginar o quanto essas pessoas treinaram para conseguir fazer tais manobras tão rápido.
 
Dentre estes dois tipos, a trapaça oportunista é a mais comum. Quando emoções começam a afetar o desempenho e um objetivo se encontra mais perto, algumas pessoas cedem ao “caminho mais fácil”. No fim das contas… a ocasião faz o trapaceiro.
 
Um dos aspectos mais usados durante uma investigação é o conceito de Risco x Recompensa. Em termos simples, é uma análise do risco que a pessoa investigada tem e a recompensa que receberá caso de certo. Uma jogada ilegal, dando uma grande vantagem a uma pessoa, que acontece numa mesa 0-4 de um GP é, normalmente, menos suspeita que a mesma jogada ilegal que acontece numa partida de “win and in” (em que a vitória vale a entrada no top 8) deste mesmo GP.
 
Pera Judge… tu estás dizendo que pessoas que estão mal num torneio não são investigadas?
 
Não, nada disso. Toda vez que atendemos uma partida, temos que ter em mente a possibilidade de que alguém está agindo de má fé. É bom lembrar que, quando uma mesa está parada para uma investigação, o torneio inteiro sofre. Portanto, enquanto damos nosso melhor para que a situação seja investigada da melhor forma, prezamos para que o torneio corra bem como um todo.
 
Dentro do escopo de Risco x Recompensa, vamos analisar os casos, usando as seguintes informações: num GP temos 8 rodadas no primeiro dia, 7 no segundo; Para chegar ao segundo dia do evento, normalmente são necessários 18 pontos, ou seja, um resultado 6-2-0 ou melhor.
 
 - No primeiro caso, temos duas pessoas com o resultado 0-4. Essas pessoas não vão jogar o segundo dia do evento, pois seus resultados não chegam aos 18 pontos necessários. Sendo assim, existe um risco de desclassificação para uma recompensa pequena, quase nula;
 - No segundo caso, temos duas pessoas lutando pela vaga do top 8, um dos maiores objetivos em um GP. É uma recompensa imensamente superior ao primeiro caso e, para alguns, pode valer o risco de tal trapaça “passar despercebida”.
 
Entendi, Judge. Quanto mais vale a partida, mais a balança se nivela. Faz sentido.
 
Acredito que esteja bem claro, mas vou reiterar: o objetivo deste artigo não é, em nenhum momento, sugerir que pessoas devam ponderar Risco x Recompensa, muito menos trapacear caso tal recompensa “valha a pena”.
 
Trapaças sempre serão uma mancha em nosso jogo, em nossa comunidade, que acabam muitas vezes sendo o “peso de um grupo” ou “peso de uma maioria”, quando uma comunidade inteira paga o pato pela má atitude de uma pessoa. Ironicamente, tende a ser a própria comunidade que gera essa mancha, gritando “trapaceiro” sem uma compreensão plena do que isso significa para a comunidade de Magic. Enquanto não creio que este artigo mudará coisas imediatamente, espero que sirva para abrir os olhos, para que tratemos com mais apreço nossa comunidade. Muito obrigado pela atenção!
 
Caso tenha dúvidas, entre em contato conosco na página facebook.com/BancadadoJuiz, no Facebook!
 
Lembrem-se sempre: qualquer problema na sua partida, CHAME JUDGE!
 
Qualquer dúvida relacionada a Magic, FALE COM JUDGES!
 
Um grande abraço e até a próxima!
 
 

André Tepedino (VIP STAFF Tepedino)
Juiz desde 2004, conta com boa experiência de eventos brasileiros e internacionais. Entusiasta apaixonado pelo jogo, sempre está disposto a contribuir para o crescimento e melhoramento da comunidade. Quando descobriu que não jogaria mais competitivo por preferir arbitrar, optou por jogar Commander casual para se divertir.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
LigaMagic App



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

alimere (05/11/2018 17:37:58)

Obrigado pelo esclarecimento! Abraço

VIP STAFF Tepedino (01/11/2018 14:29:38)

Desde que um nao esteja condicionado ao outro, sim.

"Vamos splitar?" Depois da resposta "vamos dar ID" é ok.

"Se tu aceitares o split, a gente empata" nao é ok.

fabiobassette (01/11/2018 09:36:58)

Bom dia!
O famoso "ID-SPLIT", ou seja, "dar ID e splitar a premiação" ou até "eu concedo pra você e splitamos a premiação", é permitido?

VIP STAFF Tepedino (01/11/2018 00:34:38)

Opa, tudo bom?

Então, empates, desde que nao sejam influenciados por coisas externas ou ofertas diretas, sao permitidos. Ambos os casos sao bastante comuns. O segundo, inclusive, acontece em níveis mais altos como GPs e Pro Tours.

alimere (31/10/2018 17:43:52)

Tenho também dúvidas a respeito de combinação de resultados. Isso é trapaça ou não?

Exemplos:

1 - Campeonato de FNM simples, com 12 jogadores. Dois jogadores abrem 3/0/0 e em um jogo de quarta rodada decretam um empate (sem jogar) para não correrem o risco de perder a premiação. Isso é permitido ou é trapaça?

2 - Campeonato REL regular, com n jogadores. Na sétima ou oitava rodada dois jogadores que estão no topo da tabela decretam empate (sem jogar) para passar para um top 8. Isso é permitido ou é trapaça?

Os dois exemplos podem parecer idênticos, mas um tem o objetivo de premiação e o outro de classificação, e aí, qual é a interpretação nestes casos?

Ajude aí!

alimere (31/10/2018 17:28:58)

Muito bom seu artigo e abre portas para discutirmos sobre um tema bem complexo.

Tenho a impressão, que assim como em nossa justiça, na maioria das vezes a impunidade prevalece. Sei que é muito difícil acusarmos alguém, conseguirmos provas concretas de que o acusado está trapaceando e por ai vai...Mas geralmente o posicionamento em defesa do trapaceiro prevalece em relação ao acusador, pois o trapaceiro se esconde em mentiras e o acusador que tem que se virar para conseguir provar algo, o que na maioria das vezes é difícil, a não ser que esteja sendo filmado e mesmo assim ainda há controvérsias...

Já tivemos situação de "cheat" filmada e detectada, onde juízes foram consultados, informaram que o jogador merecia uma punição, informamos a Wizards e no final não tivemos nenhuma punição, pois alegaram que não tínhamos juízes no campeonato em questão, a pessoa não foi pega em flagrante e nos vídeos não estava tão claro o "cheat" (apesar de achar o contrário).

Situação bem desconfortável para os jogadores locais e no fim tivemos que dar um "ban" somente em nossa loja, pois foi a única forma que tivemos de dar uma punição.

HHHH (29/10/2018 22:30:12)

Aproveito para sugerir um artigo sobre as principais trapaças que ocorrem no Magic, para que os jogadores possam ficar atentos e possam evitar ser vítimas das artimanhas dos espíritos de porco. E o que a comunidade pode fazer para ajudar o Judges a combater esse problema.

HHHH (29/10/2018 22:22:06)

Parabéns pelo artigo. Já abordei esse tema da trapaça nos comentários que faço aqui na Liga e fui apoiado por uns mas hostilizado por outros - que provavelmente são os trapaceiros, já que sou radicalmente contra eles - mas me parece que esse tema ainda é uma espécie de tabú para a comunidade, já que poucas pessoas tem coragem de falar sobre ele. Minha impressão sobre o tema é de que a maioria dos jogadores é "fairplay", porém existe uma parcela significativa de trapaceiros. E não estou falando dos trapaceiros oportunistas, mas sim de grupos de trapaceiros que combinam trapaças antes dos campeonatos, como aqueles que, durante um draft, passam cartas fortes para que um único jogador tenha um super deck e ganhe a premiação, ou grupos de jogadores que combinam vitórias e derrotas entre si para que determinado jogador do grupo avance para a próxima fase com melhores chances de premiação, jogadores que marcam o próprio deck (terrenos de cabeça para baixo, cartas foil curvadas, cartas marcadas por pequenos sinais, etc.), jogadores que colocam a "God Hand" no colo e dão o deck para o adversário embaralhar o restante do deck (que parece estar completo), jogadores que compram 8 cartas e escondem o número de cartas colocando uma atrás do outra para o adversário não ver, jogadores que olham a carta do fundo dos grimórios toda vez que embaralham (esse é o que mais tem) e algum tem inclusive destreza para puxar cartas ruins que viram no fundo para o topo para quebrar as boas compras do adversário, deck que são entregue "manados" (2 cartas seguidas de 1 mana) para o adversário embaralhar (se não embaralhar direto vai receber uma curva de mana poderosa contra si), dentre outras. O fato é que devemos adotar posturas mais enérgicas contra os trapaceiros, pois são os jogadores honestos que estão sendo prejudicados e logo eles não terão mais vontade de jogar, pois pessoas honestas não gostam de ambientes de trapaça, e logo acabaram deixando a comunidade, que ficará cada vez pior sem essas pessoas boas. Se os trapaceiros forem devidamente punidos, as pessoas boas se sentirão mais atraídas pelo jogo, pois sabem que poderão contar com os Juízes para protege-las dos trapaceiros.

VIP STAFF Tepedino (29/10/2018 13:59:37)

Opa, tudo bom? Muito obrigado pelos elogios! E tenha certeza que a comunidade judge esta de bracos abertos a quem quiser melhorar a comunidade de Magic!

Magic é um jogo social. Por isso, acaba tendo muitas nuancias com relacao a percepcao de uma situcao. Enquanto nao são permitidas acusaçoes "acaloradas", não há uma reparação, por se dizer. Se houve uma acusacao, orientamos a pessoa acusadora para que tome cuidado em faze-lo. Eu entendo o ponto sobre "duvidarem da honestidade". No entanto, acredito que o foco nisso inibiria ainda mais players de chamarem atencao a erros pra judge. Isso ja acontece especialmente em casos de jogo lento.

É importante lembrar que todo tempo tomado por investigaçao de judges é restituida ao jogo. Entao, se a investigacao comecou com 35 minutos para o fim da rodada e terminou quando haviam 20, essa partida recebera 15 minutos adicionais e terá até o -15 antes de ir para os turnos.

Nao precisa pedir desculpas nao, estou aqui pra resolver duvidas tambem. E nao deixe de perguntar por "achar muito basica" (nao foi, alias). Ficar com dúvidas é muito pior.

diecardo (29/10/2018 13:45:07)

Tepê, tudo bem?

Primeiro, gosto muito dos teus artigos e vídeos! Tuas abordagens sobre as regras são muito didáticas. Me fez ficar interessado nas regras e me aprofundar. Quando ficar um pouco mais experiente, quem sabe me aprofundo nas leituras para virar judge! :)

Falando sobre o tema do texto: realmente esse lance da acusação prévia pode ser problemática - parece "passar pano pra cheater", mas a falta de uma investigação pode gerar situações desconfortáveis. Agora, uma dúvida: vamos supor que um caso desse aconteça em um torneio REL Competitivo. O adversário denuncia, o juiz mais experiente investiga e não vê nenhum tipo de má conduta ou trapaça.

Nesses casos, o "réu" pode solicitar algum tipo de reparação? Por terem "duvidado da honestidade dele", ele ganha algum benefício ou o jogo segue? (Me perdoe se for uma pergunta muito básica, só fiquei em dúvida msm).

Obrigado pela atenção e continue com os excelentes artigos!

VIP STAFF Tepedino (29/10/2018 12:45:32)

Olha, tem muita chance de ser apenas um acidente. Se tudo der certo, será um caso isolado e não haverão mais problemas.

Mas, se caso acontecer, nao deixe de chamar por judges!

VIP STAFF Tepedino (29/10/2018 12:44:01)

Opa, tudo bom? Obrigado pelo comentário!

Então, eu gostaria de entender a tua opiniao de como o artigo está conivente com cheaters. Eu falo em tratar cheaters como cheaters... mas peço um pouco mais de consciência antes de simplesmente apontar um erro e chamar de cheater por ser em uma posição de destaque. Se puderes elaborar, tenho certeza que posso aproveitar esse feedback para materiais futuros!

Novamente, muito obrigado!

acpx (29/10/2018 12:22:50)

Muito bom! Sempre fui player casual, e não dava muita importância a esses casos afinal buscava a diversão nos dias de chuva com os amigos, mas hoje jogando competitivo em loja (sou novato, um aprendiz apenas) vejo que a realidade é outra, já peguei gente querendo uma "vantagem" a mais no meu primeiro pré-realese, e ao questionar se estava certo ele voltou atrás, não sei se foi movido pelo fato da vergonha que iria passar pois poderia questionar a outra pessoa, ou se realmente foi um erro, prefiro pensar que ele errou mesmo e seguir meu caminho. rsrs

kluclopk (29/10/2018 12:20:15)

O tom do artigo está mto conivente com os cheaters. Sim, a linha é tênue entre erros e trapaças. Mas temos mais é que extirpar esses lixos de nosso jogo e não passarmos as mãos em suas cabeças.