Commander 2017 - O Lore
27/08/2017 10:00 / 4,055 visualizações / 13 comentários
 

Saudações caros planinautas,

Este é o primeiro artigo que estou fazendo relacionado ao Lore de uma coleção que, como gosto de chamar, não é oficial. Quando digo não oficial quero dizer que é uma coleção cujo enredo não está relacionado diretamente com a linha cronológica do Magic e suas respectivas tramas. Sendo assim, coleções como Conspiracy, Planechase, Archenemy ou Commander, apesar de, às vezes, trazerem algum Lore específico e único do seu plano não afetam a ordem dos eventos cronologicamente falando.
 
Então, partamos nessa jornada onde passado e futuro se mesclam de uma forma única.
 

Antes de explorarmos nossas tribos, gostaria de dizer que se alguém me dissesse há 6 anos que eu escreveria sobre as lendas de uma coleção de Commander, eu simplesmente o chamaria de herege.

Como alguns sabem, acho que todos na verdade, eu sou um venerador das lendas do Magic, contudo eu simplesmente NÃO suporto a ideia de se criarem lendas desconectadas do Lore e do enredo da trama. Criar uma lenda simplesmente porque aquela tribo precisa de um comandante e não inseri-la no enredo, para mim, é um sacrilégio. Digno de pena de morte. Porém, eu não dito essas regras e, como já aconteceu algumas vezes, a Wizard nos surpreende trazendo de voltas lendas e transformando-as em ótimos personagens.
 
Essa minha “filosofia” serve para qualquer coleção que tratasse uma lenda como uma criatura qualquer. Isso inclui as Core Set que não eram mais Core e viraram “Magicqualquercoisa”. Mas como eu disse, às vezes temos boas surpresas dessas desventuras da Wizard.
 
Um exemplo disso é nosso caro Lunarca Odric.
 

Sua primeira aparição foi em Magic 2013.

Ninguém sabia quem ele era, quem foi ou se algum dia o veríamos outra vez. A única pista que a arte nos trazia era o símbolo de Avacyn cravado na espada. E após 3 anos, Odric ressurge das Eternidades Cegas e o melhor, teve uma boa participação no desenrolar da história.
 
Talvez ainda haja esperança para a Wizard...
 
O primeiro Commander foi lançado em 2011 com um total de: 29 criaturas lendárias dentre as quais, 15 foram criaturas inéditas no Multiverso.
Algumas caíram nas graças do povo e se transformaram em paixão nacional. Personagens como Kaalia of the Vast e The Mimeoplasm, simplesmente fazem a alegria do mesão. Em contrapartida, muitos caíram no ostracismo como, por exemplo, Basandra, Battle Seraph e Damia, Sage of Stone.

Veio o Commander 2013 e nada mudou. Algumas lendas o povo acabava gostando, outras ficavam perdidas em pastas ou caixas de sapato.

A Wizard percebeu que estava deixando passar alguma coisa com essa coleção de Commander, mas o que poderia ser?
 
Ora, já que estamos lançando uma coleção cujo tema principal são lendas, porque não lançar lendas que não conseguimos lançar dentro de suas respectivas coleções?
 
 
 
Gente é sério, quando eu vi Feldon e Titania, tive um orgasmo nerd. Desde então, Commander encontrou um lugar especial no meu coração.

Ainda encontramos lendas perdidas e aleatórias dentro da coleção, mas acontece que agora a Wizard aproveita essa grande oportunidade para lançar aquele personagem que todos sempre esperaram por ver – Urza is coming – e não somente isso, mas ao lançar uma lenda inusitada, ela deixa uma janela aberta para que ela retorne em coleções futuras – ou não...
 
Como a coleção de Commander se tornou um prato afrodisíaco para os amantes do Lore e aproveitando essa hipster ao redor dos comandantes tribais, resolvi trazer um pouco do Lore das lendas que, a partir de agora, farão parte das batalhas épicas travadas na mesa da cozinha.
Mas já aviso de antemão, nem todas as lendas possuem, ainda, um Lore. Acho isso uma grande pena porque a Wizard podia atualizar as informações sobre esses personagens, infelizmente teremos que esperar por um possível aparecimento destas lendas.
 
Felinos

Nazahn, Cuteleiro Reverenciado
 

Vocês se lembram de Fragmentos de Alara?

Alara era um plano subdividido em 5 pequenos planos menores: Bant, Grixis, Esper, Jund e Naya. Após as maquinações de Nicol Bolas, os cinco mini planos se alinharam com o evento conhecido como Confluxo e Alara voltou a ser um único plano. O plano de Naya era um paraíso primitivo lar de minotauros, humanos e elfos que adoravam as bestas gargantuas.
 
A raça dos felinos de Naya é chamada de Nacatl. Apesar de suas semelhanças com os leoninos de Mirrodin, os Nacatl se distinguem por causa de alguns detalhes. A raça dos Nacatl sofreu devido as rebeliões lideradas por Marisi, que acreditava que seu povo havia se tornado fraco. O império caiu e os Nacatl foram reduzidos a tribos isoladas.
 
Com o advento do Confluxo, a mana preta de Jund e a mana azul de Bant fluíram para Naya. Cada plano fazia fronteira com outros dois planos cujas barreiras foram rompidas pelo Confluxo.
 
Com todas essas mudanças, Nazahn encontrou um lugar em Bant. Antes, um mero ferreiro, agora ele alcançou fama entre os soldados gloriosos de Bant graças as suas grandes habilidades como armador. Segundo os rumores, ele carrega um martelo mágico que o torna invencível e que permite que ele segure fogo e metal ardente.
 
 
Balan, Cavaleira Errante
 

Sobre essa felina guerreira temos pouco a falar.

As únicas informações sobre ela é que ela possui um grande repertório de contos e aventuras, prontas para serem contadas ao redor de um fogo amistoso e uma boa bebida. Altruísta, pois não pensa duas vezes ao se lançar a uma batalha para salvar alguém ou pelo simples prazer de enfrentar alguma besta maligna. Não se sabe seu plano de origem, porém é quase que unânime entre os fóruns que Balan seja oriunda de Theros. Sua imponência e armadura são as únicas coisas que podem fazer qualquer menção a Theros, mas isso não é algo certo. Além do mais, os felinos de Theros não usam armadura, preferindo mais roupas leves para se usar em combate.
 
 
Caso seja confirma que ela é de Theros é bem provável que ela seja de Oreskos, principal cidade dos felinos, e o primeiro felino a portar o título de cavaleiro.
 

Arahbo, Rugido do Mundo
 

Arahbo não é um personagem, mas sim uma concepção, um ideal de felino perfeito e poderoso, um ser primordial. Acredito que ele seja a versão felina do Ur dos dragões, bem, pelo menos em sua primeira versão que era o Herdeiro Ur.

Como sendo um ser primordial, ele não possui um plano de origem, pois ele é a força que guia e orienta cada felino no Multiverso.
A representação do ideal felino engloba os seguintes conceitos: inteligência, percepção, asserção, equilíbrio e um caçador cruel e implacável.
 
 
Mirri, Duelista do Bons Ventos
 

Ah, não tem como ver uma carta dessa e não sentir aquela nostalgia no ar.

Quem não conhece nossa querida Mirri?
 
Grande companheira de Gerrard e Rofellos, Mirri fez parte das aventuras da tripulação do Bons Ventos até a coleção de Êxodo. Mirri era uma párea entre sua tribo por possuir olhos com cores diferentes, o que era símbolo de mau agouro. Após o exílio, ela foi aprender a feitiçaria Maro em Yavimaya junto de Rofellos e Gerrard. Os anos se passaram e ela se afeiçoou a Gerrard, porém nunca teve a oportunidade de dizê-lo.
 
Depois do treinamento, ela foi morar na floresta de Llanowar. Essa vida calma não durou muito, pois houve a ameaça do Aboroth e logo em seguida, eles partiram por novas aventuras. Ela fora a melhor amiga de Gerrard, e o seguiu pela busca do Legado e através de Rath para resgatar Sisay.
 
Essa aventura os levou ao sinistro plano de Rath e uma incursão dentro da Fortaleza. Após a destruição de Selenia e a liberação da maldição, a fiel e amada Mirri encontrou seu fim pelas mãos de Crovax que fora possuído pela maldição que veio com a morte de Selenia.
 
Mirri é uma das personagens que possui sua versão alternativa dentro do bloco de Caos Planar. Nessa versão, a maldição de Crovax recaiu sobre ela e, pelo o que os flavor text indicam, ela se tornou o novo Evincar de Rath e não Crovax. Crovax se tornou o heroi e ela a amaldiçoada.
 

Se quiser conhecer um pouco mais sobre ela dê uma conferida no artigo Rath and Storm.
 
Vampiros
 
Licia, Tribuna Sanguinária
 

Essa centúria é completamente desconhecida. Na verdade, nem sei se ela é de fato uma centúria, mas suas roupas me dão essa impressão.

Não há conexão com plano algum, muito menos suposições ao seu plano de origem. Eu arriscaria que ela é de Fiora, devido à arte de fundo, mas também pode ser de algum lugar que ainda visitaremos. A única coisa que sabemos dela é que Licia é conhecida por ser implacável em batalha e por carregar uma espada manchada pelo sangue de suas incontáveis vítimas. Segundo os rumores, uma dessas vítimas que pereceram por suas mãos foi um anjo cuja pena ela carrega com pompa em seu elmo.
 
Mathas, Buscador de Demônios
 
 
Outra incógnita que veio junto dos vampiros.

Quem é ou foi Mathas? De onde ele é?
 
Nem suas cores ajudam a imaginar de qual plano ele pode ser. Se houvesse azul eu poderia falar Dimir, mas aquele vermelho põe tudo a perder. Só sabe-se que Mathas deseja ser o único de sua espécie, um desejo de ser o único ser supremo restante de sua raça.
 
Um vampiro caçador de vampiros... onde foi que eu já vi isso antes?
 
Parece que aquilo em sua mão não é um mero marcador de gado, mas sim um poderoso símbolo sagrado que condena e leva os vampiros a morte. Edgar Markov sentiria vergonha ao ver um vampiro traindo seu próprio povo.

Edgar Markov
 

Edgar Markov veio para salvar o “fiasco” dos vampiros.

O clã Markov é o mais prestigioso e, provavelmente, o mais difundido dentre os clãs vampíricos de Innistrad. Edgar Markov é a Pedra Angular da linhagem Markov e de toda raça de vampiros de Innistrad. Milhares de anos antes do grande Sorin Markov vaguear pelas Eternidades Cegas, Edgar Markov realizava suas buscas incessantes pela longevidade e vida eterna. Não somente para ele, mas para seu querido neto Sorin. Quando uma fome se alastrou por Innistrad, criada propositalmente pelo demônio Shilgengar, o alquimista Edgar fora convencido pelo demônio a iniciar experiências com sangue.
 
Os Markov realizaram o sacrilégio de aprisionarem um anjo, Marycz, e a dessangraram-na – drenaram o sangue dela – preparando uma decocção com seu sangue e criaram um ritual que causou aqueles que participaram a necessidade de se alimentar do sangue de outros seres. Isso proveu a sobrevivência de alguns, mas a demanda por sangue resultou em uma grande diminuição na população. Quando Markov realizou o ritual em Sorin, isso desencadeou sua centelha transformando-o em um planinauta. Logo após sua ascensão, Sorin partiu de Innistrad e abandonou sua família e seu avô.

Magos
 
Inalla, Arquimaga Ritualista
 
 
Quando eu vi que lançaram Mirri, por um momento uma luz de esperança rompeu em mim com a chance de que a Wizard lançasse outra versão do mago Barrin.

Sinceramente, aquela carta que lançaram em Saga de Urza é simplesmente uma afronta ao grande mestre tolariano. Como ano que vem voltaremos a Dominaria – Long live to Phyrexia – e as cores dos magos baterem com as cartas relacionadas a Barrin, eu cheguei a acreditar nessa possibilidade. 
 
Apesar de Barrin ser mono blue em sua essência, em Invasão lançaram cartas relacionadas a ele com a cor preta e a única carta vermelha que faz alusão a ele é o Obliterar.
 
Mas deixemos de sonhar e voltemos a nossa triste realidade. Os magos dessa coleção, em relação a Lore, deixaram muito a desejar. Talvez em um futuro, não muito distante, nos encontremos com Inalla outra vez, mas por enquanto as únicas informações são que Inalla é uma maga magistral que fora guiada por sua sede de poder a se aprofundar em feitiçaria proibida. Os rumores dizem que, ela escondeu sua prática arcana dos anciãos do seu conclave e os impressionou ao ponto de subir ao alto posto de arquimaga.
 
Não há muito que especular, mas se ela teve que agir de maneira escondida isso pode levar a possibilidade de ser um plano onde a magia não é tão comum ou foi proibida.

Kess, Maga Dissidente
 

Ao contrário do que muitos pensaram ao verem a arte de Kess, ela não é oriunda de Zendikar, mas sim de Grixis ou o que sobrou do lugar.

Sempre achei que aquele posso fétido de morte apenas abrigasse mortos, demônios e necromantes. Encontrar lá uma maga talentosa assim, é como encontrar uma Black lótus. Essa é a segunda lenda relacionada a Alara, talvez em breve teremos um retorno ao plano. Essas coisas flutuando ao redor são os vis, uma substância mágica que contém pequenos pedaços de energia da vida, os quais ela colhe, mas para qual finalidade ainda teremos que descobrir.
 
Marchesa, a Rosa Negra
 

O plano de Fiora é o lar do planinauta Dack Fayden.

A Alta Cidade, Paliano é palco de intrigas políticas, traições, maquinações, dragões, caminhantes br... ops, mil perdões, eu confundi os planos.
 
É nítido que Fiora faz referência a Game of Thrones tanto que a Rainha Marchesa é uma homenagem a Cersei Lannister. Porém não é sobre isso que quero falar aqui. Pelo o que entendi sobre Paliano, a atual rainha é Marchesa d’Amati, também conhecida como a Rosa Negra. D’Amati fora uma jovem palaciana que aprendeu desde cedo as maquinações da corte. Como seus irmãos eram incompetentes para governar, ela trilhou seu caminho até o trono comprando e negociando informações e a vida dos outros.
 
A planinauta Kaya foi a ferramenta que permitiu sua ascensão definitiva ao trono. Após a planinauta matar – outra vez? – o espírito do rei Brago, o Custodi (sacerdócio de Fiora, constituído por alguns espíritos e lichs) corou D’Amati como rainha de Paliano.
 
Mas se a rainha é a Marchesa, então quem seria essa outra Marchesa?
 
Realmente, faço à mínima ideia de quem ela seja, mas, acredito eu, que a Marchesa Rosa Negra possa ser a mesma Rainha Marchesa são a mesma pessoa, porém uma é a versão mais velha da outra.
 
Ambas têm o mesmo nome e são conhecidas pelo mesmo apelido... porém isso não passa de especulação.

Mairsil, o Impostor
 

Ah, não tivemos Barrin, porém teremos Mairsil.

Mairsil é uma figura pitoresca vinda da sombria e gélida Dominaria pós Guerra dos Irmãos. Quando o mundo caiu na Escuridão e a Era Glacial estava prestes a se iniciar, Mairsil já realizava suas maquinações. Esse mago foi membro do Conclave dos Magos, mas sua sede de poder o levou a trair o seu líder, Ith, Alto Arcanista, e o aprisionar em uma cela por 12 anos.
 
O Alto Arcanista foi salvo por Jodah e ambos destruíram Mairsil. Mas a essência de Mairsil sobreviveu e foi mantida dentro de um anel de rubi que, posteriormente, durante a Era Glacial, foi encontrado por um soldado insignificante que se tornou um dos ícones da Era Glacial.
 
Esse soldado era chamado de Lim-Dúl
 
 
Ficou curioso sobre o que aconteceu depois?
 
Leia meu artigo sobre a Idade das Trevas e a Era Glacial que lá você saberá que fim levou toda essa trama.  
 
 
Dragões
 
O Ur-dragão
 

Assim como Arahbo, o Ur-dragão não é um personagem, mas sim uma entidade. Um ideal dracônico de supremacia e soberania da raça dos dragões. Dele provem todos os demais dragões do Multiverso, pois ele é a essência primordial.

A única vez que houve menção do Ur-dragão em cartas foi no ciclo de assistentes de Invasão. Nesse caso, as frases fazem referência a cada um dos Primordiais e sua característica com Ur-dragão isso quer dizer que, cada um deles possuía alguma das características que consistia o ideal de dragão perfeito e supremo.
 

 
 

Ramos, Dragão Mecânico
 

Enquanto algumas tribos carecem do “Fator Lore”, os dragões transbordam disso. Nem consigo acreditar que vivi para ver Ramos retornar a Mercadia.

Como já destrinchei recentemente sobre Ramos, Ramosianos e Mercadia, então fica aqui o link da saga de Máscaras de Mercádia para que você saber quem ou o que foi Ramos.

Taigam
 
 
Taigam foi, originalmente, um monge de Tarkir membro do clã Jeskai. Treinado no caminho dos Jeskai sob a tutoria da própria Narset, o venerado monge caiu pela ambição ao poder. E quando se desejava poder verdadeiro era aos Sultai que você devia recorrer. Em sua busca por poder, Taigam fez um pacto com o rakshasa, gato demônio, Ebirri, que providenciou sua ascensão entre os Sultai. Rapidamente ele se tornou a Mão de Sidisi, antiga Khan do clã, e liderou os mortos e nagas.

Quando Sarkhan Vol voltou no tempo para salvar Ugin, ele criou uma linha temporal alternativa, igual em Caos Planar. Nessa nova linha temporal, Taigam nunca traiu os Jeskai e se tornou o melhor pupilo do dragão lorde Ojutai. Mas parece que uma vez traidor sempre traidor. Quando Narset descobriu a verdade sobre os dragões e Ugin, foi Taigam quem a descobriu e a delatou na esperança de alcançar graça através da queda de Narset. Para ele, Narset sempre será uma herege mesmo após Ojutai ter demonstrado apreço por ela.

O-Kagashi, Kami Vingativo
 

O-Kagashi é o ser mais antigo e, provavelmente, o mais poderoso de Kamigawa. Foi ele quem dividiu o mundo físico do espiritual. Ele era a alma do mundo, o primeiro Kami, tão antigo quanto o próprio plano. Quando Lorde Takeshi Konda atacou o Mundo Espiritual, ele roubou o “coração” de O-Kagashi – sua divindade – então Konda guardou o coração do Kami em forma de pedra em sua câmara interior.

Isso foi o estopim para desencadear a Guerra dos Kamis que durou vinte anos.

Wasitora, Rainha Nekoru
 
 
A primeira vez que vi a imagem logo pensei que essa era mais uma lenda proveniente de Kamigawa, mas eu me surpreendi ao descobrir que Wasitora, na verdade, é de Dominaria. Para ser mais exato, de Jamuraa. Os nekoru foram uma raça de gatos dragões que não se sabe se foram descendentes dos Elder Dragon devido ao fato de não possuírem um corpo reptiliano.

A palavra Nekoru é uma junção das palavras japonesas “Neko” – gato – e “Ru” (ou Ryu), dragão, isto é, literalmente gato-dragão.
 
Apesar de a aparência lembrar Kamigawa, Wasitora é uma personagem que apareceu no Segundo Ciclo de Legends. Eu já falei sobre isso nesse artigo. 
 
Em uma tentativa de criar um Lore envolvendo todas aquelas lendas de Legends, surgiu à história que envolve Tetsuo Umezawa. Wasitora foi a rainha dos nekoru e uma das poucas que possuía essência de mana verde com habilidades para a cura. Ela foi deixada na floresta de Jamuraa e nunca se deparou com outros de sua raça, até o dia que um grupo de gato-dragões se deparou com ela. Ela derrotou o bando inteiro e reivindicou o título de rainha.
 
Wasitora gostava do peixe do vilarejo de Sekana que ficava em Madara, porém os aldeões não apreciaram a ideia de pagar tributo em forma de peixe para o dragão. Então eles resolveram chamar o campeão imperial, Tetsuo Umezawa, para acabar com a ameaça dracônica. O duelo foi interrompido quando um vorme atacou ambos. Wasitora ajudou a derrotar o vorme e isso providenciou uma aliança. Tetsuou percebeu que ela não merecia a morte e por isso, a tornou defensora da cidade portuária cujo pagamento era em peixe.

La deu a luz a seis gatos, porém somente cinco sobreviveram. Ela levou sua cria para ser cuidada no lar de Tetsuo e lutou para defender o lugar contra o exército imperial, kentsu. Sua memória sobreviveu a Emenda em Dominaria, já que a raça fora visitada por Teferi durante Time Spiral e seus filhotes se tornaram os líderes do antigo império de Madara.
 
-
Esse foi o Lore das Lendas de CMD17! Espero que tenham gostado, falar sobre esse tipo de Lore é uma novidade para mim e minhas viagens entre planos, mas também foi revigorante!
 
 

Leandro "Arconte" Dantes (VIP STAFF Arconte)
Leandro conheceu o Magic em 1998 e, desde então, se apaixonou pelo Lore do jogo. Após retornar a jogar em 2008, se interessou por lendas, o que resultou por despertar a paixão pela escrita. Sempre foi mais colecionador do que jogador e sua graduação em Pedagogia pela Ufscar cooperou para que ele aprimorasse e desenvolvesse um estilo próprio. Autor de alguns contos, todos relacionados ao Magic, já traduziu o livro de Invasão e criou sua própria saga com seu personagem, conhecido como Arconte.
Redes Sociais: Facebook

ARTIGOS RELACIONADOS

Máscaras de Mercádia - Acerto de Contas

Parte XV.


Máscaras de Mercádia – Salvem Squee

Parte XIV.


As Máscaras de Mercádia – Maquinações

Parte XIII


As Máscaras de Mercádia - Parte XII

O Lamentar de Ramos.


As Máscaras de Mercádia - Parte XI

A Descoberta de Squee.

MTG Cards



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

FelipeSoares (29/08/2017 22:31:36)

Mathas é de innistrad, o símbolo que ele ostenta é o da inquisição e do culto a Emrakul.



VIP STAFF Arconte (27/08/2017 18:37:56)

Calma jovem padawan, cuidado com o ladro negro.
Quando eu disse Cersei, disse no sentido de inspiração. É visível o tipo de ambiente onde se passa o Lore do plano e como a rainha lembra a Cersei. No mais, eu realmente não sabia que ambas eram a mesma pessoa porque não tinha achado nada, mas que bom que minha especulação estava certa.

VIP STAFF Arconte (27/08/2017 18:00:09)

Calma jovem padawan, cuidado com o ladro negro.
Quando eu disse Cersei, disse no sentido de inspiração. É visível o tipo de ambiente onde se passa o Lore do plano e como a rainha lembra a Cersei. No mais, eu realmente não sabia que ambas eram a mesma pessoa porque não tinha achado nada, mas que bom que minha especulação estava certa.

VIP STAFF Arconte (27/08/2017 17:57:42)

Como diria Eça de Queiroz, "morrendo e aprendendo."

VIP STAFF Arconte (27/08/2017 17:57:09)

Também concordo com isso, essa parte do Lore é infinitamente melhor. E chegaremos lá sim, aguarde e confie.

VIP STAFF Arconte (27/08/2017 17:56:07)

Essa informação eu desconhecia.Interessante essa informação sobre Grixis. E sim, ela demonstra estar em buscar de restaurar o plano, mas como eu não sabia sobre essa Vithia, achei estranho alguém querer restaurar aquele inferno de lugar rsrs

garlaxkane (27/08/2017 15:43:20)

Meu amigo, Black Rose é a Rainha Marchesa.
https://mtg.gamepedia.com/Marchesa_d%27Amati
Wiki oficial de magic está ai para provar, além disso, ela não tem nada haver com a Cersei Lannister. Não insulte a rainha.

matheuswhite (27/08/2017 11:55:27)

Texto muito legal.

Estão especulando que a Licia é do mesmo plano que a Saskia do C16. Licia é uma conquistadora que destruiu vários vilarejos, enquanto Saskia teve seu vilarejo destruído por uma guerra. Os flavors delas se complementam. Talvez seja um plano envolvendo o domínio romano sobre a Europa ou algo assim.

Eu acho que Mathas é Ixalan, porque a pele dele é bem branca (como os vampiros de lá) e também, talvez Inalla seja de Vryn, mas não tenho muito motivo a não ser achismo

aekrusty (27/08/2017 11:40:09)

Boa dia amigo, ótimo texto, parabéns! A título de enriquecimento, a Licia na verdade é um Tribuno, um posto acima ao do Centurião na legião romana.

Marcosalepassos (27/08/2017 11:13:49)

Em tempo, quiseram que o Dack Fayden fosse o protagonista de Fiora, porém, a historia de intriga do trono, do Dareth e do Grenzo é mil vezes mais legal.
Já fico na expectativa do dia em que vc irá compilar as informaçoeos de Fiora pra gente kkkkkkkkk #pidão

Marcosalepassos (27/08/2017 11:09:38)

Ahhh que delicia, vlw Arconte, novamente mandando bem demais.
Uma ajuda ai
A Marquesa Black Rose é a Marquesa de Conspiracy 1, criando intriga para alcançar o trono, são sim a mesma personagem, mas em conspiracy 2 ela se tornou Mardu após virar a rainha.

memnarch (27/08/2017 10:17:50)

Aparentemente a Kess seja uma das antigas protetoras do reino de Vithia. E talvez ela queira reestabelecer o reino antigo.

memnarch (27/08/2017 10:17:09)

Parece que a Kess quer usar o Vis para o bem, para tentar reestabelecer o que foi perdido em Grixis: o reino a la Bant, que Grixis era.
Li isso no folheto do deck de magos, do Commander desse ano, e também lendo artigos sobre Alara e juntando os pontos.

Antes, Grixis era Vithia. Mas aí parece que a região perdeu as manas verde e branca, e os demônios começaram a dominar tudo lá.
Aí ficou essa desgraceira que é Grixis agora.